Conselho das Finanças Públicas

Nova presidente do CFP acredita que disciplina “é espelho” da robustez económica

Nazaré Costa Cabral defende que a "disciplina financeira permite criar as almofadas orçamentais de segurança e garantir a dose certa de flexibilidade de que as finanças públicas necessitam".

Nazaré Costa Cabral foi nomeada, em 2014, pela então ministra de Estado e das Finanças, Maria Luís Albuquerque

MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

A nova presidente do Conselho das Finanças Públicas (CFP), Nazaré Costa Cabral, defendeu esta quarta-feira na sua tomada de posse que a disciplina financeira é um “espelho” da robustez económica e da estabilidade social de um país.

A disciplina financeira “é um espelho quer da robustez económica, quer da estabilidade social e institucional de um país”, disse Nazaré Costa Cabral no seu discurso de tomada de posse como presidente do Conselho das Finanças Públicas, no Salão Nobre da Assembleia da República.

Nazaré Costa Cabral defendeu ainda que a “disciplina financeira permite criar as almofadas orçamentais de segurança e garantir a dose certa de flexibilidade de que as finanças públicas também necessitam”.

Essa folga orçamental garante a respeitabilidade e a força negociais e é reduto de resistência e de independência”, acrescentou, defendendo que “um perfil macroeconómico estável e um quadro orçamental sólido garantem ainda a capacidade de acomodação das vicissitudes da conjuntura económica”.

“Acima de tudo, facultam aos governos, a qualquer governo, a margem necessária de concretização das políticas públicas para as quais foram mandatados pelos cidadãos”, reforçou.

Ao Conselho das Finanças Públicas “cabe, portanto, no quadro das suas atribuições, zelar pelo cumprimento das regras orçamentais que desta forma associamos à ideia de disciplina financeira, contribuindo assim, também, para uma maior transparência, responsabilidade e solidez das nossas instituições democráticas”, concluiu a nova responsável do CFP.

No seu discurso agradeceu ainda à sua antecessora, Teodora Cardoso, que abandona o Conselho das Finanças Públicas depois de sete anos na sua presidência.

Para Nazaré Costa Cabral, Teodora Cardoso contribuiu para fazer do CFP “uma instituição credível e respeitada, não apenas enquanto instituição de controlo, mas também enquanto entidade técnica de alto nível, de apoio à decisão em matéria de política orçamental”.

A nova presidente do CFP destacou ainda o “grau de excelência e de reconhecimento atingidos em tão pouco tempo” pelo organismo, elogiado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) num recente relatório à sua atividade.

“Recebo, pois, uma herança valiosa que deverei saber proteger”, reconheceu Nazaré Costa Cabral.

O agradecimento a Teodora Cardoso foi também feito pelo presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, que defendeu que “sem finanças sãs não há crescimento económico e não há receitas fiscais necessárias ao equilíbrio macroeconómico.”

“Finanças públicas sadias são sinónimo de transparência e de qualidade da democracia. Sem finanças sãs não há estabilidade política, não há coesão social”, defendeu.

Eduardo Ferro Rodrigues disse ainda que “as finanças públicas traduzem opções que o Estado faz na prossecução dos seus fins, na satisfação das necessidades coletivas, e na gestão dos recursos disponíveis”, e destacou que essas opções são “políticas, pois refletem as prioridades que cada governo entende indispensáveis ao cumprimento do seu programa”.

Nazaré Costa Cabral é professora associada da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa e as suas áreas de interesse e investigação vão das Finanças Públicas às Parcerias Público-Privadas (PPP), passando pela União Económica e Monetária, pela Segurança Social e Políticas Públicas, de acordo com informação disponível no ‘site’ daquela instituição de ensino.

A professora universitária concluiu em 1994 a licenciatura em Direito na faculdade onde agora leciona, e, quatro anos depois, terminou o mestrado em Ciências Jurídico Comunitárias, na mesma instituição, onde também fez o doutoramento em Direito, na variante de Ciências Jurídico-Económicas, que terminou em 2007.

Mais recentemente, Nazaré Costa Cabral fez também a licenciatura em Economia, na Nova SBE — School of Business & Economics, que concluiu em 2015.

Nazaré Costa Cabral foi nomeada, em 2014, pela então ministra de Estado e das Finanças, Maria Luís Albuquerque, como membro do grupo de trabalho encarregue da revisão da Lei de Enquadramento Orçamental.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)