A Google avisou os utilizadores dos sistemas operativos Windows e do OSX que o browser gratuito da empresa, o Chrome tem um erro que pode ter sido aproveitado por hackers, avançou o Telegraph. Justin Schuh, responsável de segurança do Chrome, escreveu no Twitter que a solução já foi inserida a 1 de março no último update, mas é preciso “atualizar o Chrome… tipo, neste minuto”.

Por norma, o Google Chrome tem as atualizações automáticas ativadas. Contudo, para garantir que o programa está atualizado, basta ir às definições (os três pontinhos no topo superior direito da janela), carregar em “ajuda”, depois em “acerca do Chrome”. Nesse separador que é aberto, o sistema informa se está ou não atualizado. Se estiver, o browser já está protegido. Se não for o caso, atualize.

Segundo a empresa, o erro informático encontrado permitia que aplicações da web acedessem à memória do computador e pudessem instalar programas. Este bug foi encontrado no FileReader, um programa que é utilizado para estas apps lerem ficheiros no PC.

Atualmente, o Google Chrome é o browser mais utilizado no mundo, depois de ter destronado o Internet Explorer (agora apelidado de Microsoft Edge). O principal concorrente é o Firefox, da Mozilla. A líder deste último, Mitchell Baker, criticou o Chrome em novembro, na Web Summit: “O objetivo não era levar toda a gente para o Google Chrome e mantê-los lá. Mas isso mudou”, disse.