Rádio Observador

Brasil

Homem que esfaqueou Bolsonaro pode ser declarado inimputável

164

Adélio Bispo de Oliveira está preso desde que esfaqueou Jair Bolsonaro. Agora, afirma que vai voltar a fazer o mesmo se sair em liberdade. Psicólogos dizem que o homem sofre de doença mental

Adélio Bispo de Oliveira esfaqueou Jair Bolsonaro, então candidato presidencial brasileiro e atual Presidente do Brasil, a 6 de setembro de 2018

Os psicólogos escolhidos pela Justiça brasileira afirmam que Adélio Bispo de Oliveira, o homem que esfaqueou Jair Bolsonaro durante a campanha presidencial em setembro, sofre de uma doença mental, avança o Estadão e o G1. O homem afirmou aos peritos que, se sair em liberdade, vai tentar esfaquear novamente o atual presidente, o que leva o tribunal a poder declarar Bispo de Oliveira inimputável.

Se Bispo de Oliveira for declarado inimputável, não pode ser responsabilizado pela tentativa de homicídio nem por ofensas à integridade física de Jair Bolsonaro. Se a Justiça brasileira assim o considerar, o homem que esfaqueou Bolsonaro em flagrante delito vai ser submetido a medidas preventivas de segurança por se suspeitar que sofre de uma doença mental.

De acordo com o mesmo documento, Bispo de Oliveira sofre de “transtorno delirante permanente paranóide”, uma doença mental que faz com que o homem seja incapaz de não acreditar que tem de matar o atual presidente do Brasil.

Bispo de Oliveira está acusado por “atentado pessoal por inconformismo político”, pelo Ministério Público Federal de Minas Gerais. Segundo a acusação, o arguido tinha como objetivo afastar Jair Bolsonaro da corrida presidencial. Há a suspeita de que Bispo de Oliveira possa ter sido mandatado a esfaquear Bolsonaro pela organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Essa investigação está suspensa.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mmachado@observador.pt
Brasil

Em nome do Brasil, peço desculpas /premium

Ruth Manus
4.286

Não, eu não elegi este governo. Mas o meu país o fez. Parte por acreditar na política do ódio, parte por ignorância, parte por ser vítima das tantas fake news produzidas ao longo do processo eleitoral

Cooperação económica

De braço dado com Angola

José Manuel Silva

O momento político angolano é propício à criação de laços baseados na reciprocidade e na igualdade de tratamento, sem complexos de nenhuma espécie. A história foi o que foi, o presente está em curso.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)