“Quero dizer-vos que não me sinto identificado com o cartaz com ‘ele’ que anunciámos”, disse Pablo Iglesias num tweet esta quarta-feira. O secretário-geral do partido de esquerda populista espanhol Podemos está de licença de paternidade desde 20 de dezembro, quando nasceram os seus dois filhos, gémeos prematuros, e vai voltar à atividade num grande comício a 23 de março. Num cartaz cor-de-rosa e roxo a anunciar o evento, lê-se “Ele volta”, com o “ele” destacado na palavra “vuELve”.

O político espanhol afirmou no Twitter que é necessário “reconhecer os erros” porque “é o primeiro passo para fazer as coisas bem”. Nesta rede social, houve centenas de respostas a criticar Iglesias por se tratar de um não assunto.

A mulher de Pablo Iglesias, Irene Montero, que tem substituído o político nas suas funções enquanto este esteve ausente por ter sido pai, várias vezes utiliza os pronomes femininos como base da linguagem para promover “um país feminino”. Exemplo disso é a forma como se refere à coligação “Unidos Podemos”, que apelida de “Unidas Podemos”. A política também usufruiu de licença de maternidade até dia 9 de janeiro.

O regresso de Pablo Iglesias está marcado para dia 23 de março, na Plaza do Museo Reína Sofia. Como refere o La Vanguardia, este regresso acontece num momento decisivo eleitoral em Espanha, com eleições gerais marcadas para 28 de abril e as europeias a 26 de maio.