Os três sindicatos de professores da Guiné-Bissau decidiram esta quinta-feira levantar a greve, iniciada a 14 de fevereiro, depois de o governo ter publicado o estatuto de carreira docente no Boletim Oficial, anunciou o seu porta-voz.

“Levantámos a greve porque o estatuto de carreira docente foi publicado no Boletim Oficial (equivalente ao Diário da República) e o salário retido a mais de quatro mil professores já foi devolvido”, explicou Bungoma Duarte Sanha.

Segundo o porta-voz dos três sindicatos, foi decidido dar o “benefício da dúvida” ao governo para cumprir as restantes cláusulas do memorando assinado até ao final de março.

Os professores da Guiné-Bissau têm realizado greves consecutivas desde outubro, o que tem prejudicado milhares de alunos guineenses, que este ano letivo ainda não tiveram aulas.

No início de janeiro, os três sindicatos representativos dos professores assinaram com o governo um memorando de entendimento, na presença da sociedade civil, associações de pais e do Presidente guineense, José Mário Vaz.