Rádio Observador

Vila Nova de Gaia

Gaia cria rede de intervenção em casos de violência doméstica

Protocolo junta mais de uma dezena de entidades, estando envolvidas instituições ligadas à área policial e à área da saúde. Objetivo é que trabalho seja acompanhado de forma integral, em rede.

A Rede Especialista em Intervenção com Vítimas de Violência de Vila Nova de Gaia terá como missão promover a troca regular de informação considerada relevante, nomeadamente no âmbito da legislação

ANDRÉ PEREIRA/LUSA

A Câmara de Vila Nova de Gaia oficializou esta sexta-feira a criação da Rede Especialista em Intervenção com Vítimas de Violência com a assinatura de um protocolo que junta mais de uma dezena de entidades.

Em causa estão instituições ligadas à área policial e à área da saúde, entre outros setores, nomeadamente o Núcleo de Vila Nova de Gaia do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) do Porto, Delegação Norte da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género e Comissão de Proteção de Crianças e Jovens.

É objetivo deste protocolo “estabelecer os termos e condições de organização e funcionamento do serviço de atendimento, informação, acompanhamento social e psicológico, aconselhamento jurídico, bem como de ações de sensibilização a grupos específicos e à comunidade civil no âmbito da prevenção da violência doméstica e de género, abuso sexual e tráfico de seres humanos”.

“Queremos que o trabalho que se faça na área da violência seja acompanhado de forma integral, em rede. A melhor forma de diagnosticar o problema é dando enfoque a cada uma das áreas em que se manifesta”, disse o presidente da Câmara de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues.

A Rede Especialista em Intervenção com Vítimas de Violência de Vila Nova de Gaia, distrito do Porto, terá como missão, entre outras tarefas, promover a troca regular de informação considerada relevante, nomeadamente no âmbito da legislação.

Também foi avançado que esta rede terá de garantir a capacitação das entidades locais para a intervenção junto de situações de violência, nomeadamente, através de formação contínua e da criação de instrumentos de suporte à atividade desenvolvida.

Promover a realização de estudos e diagnósticos de situação, bem como o mainstreaming de tolerância zero à violência através de ações de prevenção e de ações de marketing social, são outras das ações desta rede.

Além das entidades citadas também assinaram o protocolo o Agrupamento de Centros de Saúde de Vila Nova de Gaia, o Serviço Social e Gabinete do Cidadão do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, o Comando Territorial do Porto da Guarda Nacional Republicana, a Divisão Policial da Polícia de Segurança Pública, o Instituto da Segurança Social e o Instituto de Emprego e Formação Profissional.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)