Rádio Observador

MotoGP

MotoGP. Corrida pode ser antecipada no domingo por questões de segurança

179

Pilotos pedem antecipação em uma hora da corrida de domingo. Miguel Oliveira terminou a jornada desta sexta-feira a 2,225 segundos do mais rápido, num dia que para o piloto foi "complicado".

Vários pilotos têm pedido a antecipação, por questões de segurança, da corrida de MotoGP de domingo, no circuito de Losail, no Qatar

NOUSHAD THEKKAYIL/EPA

Autor
  • Agência Lusa

Vários pilotos têm pedido a antecipação, por questões de segurança, da corrida de MotoGP de domingo, no circuito de Losail, no Qatar, prova inaugural do Mundial de velocidade.

Sendo a única corrida a disputar-se à noite do campeonato, as condições da pista são afetadas pela descida de temperatura do asfalto depois do por do sol. Por isso, vários pilotos têm-se manifestado a favor da antecipação em uma hora do horário previsto (20h25 horas locais, menos três horas em Portugal).

O português Miguel Oliveira considera que será “difícil” que essa decisão vá em frente, mas defende a antecipação em “pelo menos meia hora”.

Cada dia aqui no Qatar é diferente e isso torna complicado tomar uma decisão. Hoje, por exemplo, tivemos condições perfeitas a partir das 20h00 horas [17h00 horas em Lisboa]. Normalmente, quando o sol se põe a temperatura desce bastante e foi isso que causou várias quedas no último dia de testes. Na reunião da Comissão de Segurança abordámos o assunto, mas parece-me inviável que este fim de semana se antecipe tudo uma hora. Talvez 30 minutos [seja possível], mas vamos aguardar pela decisão”, disse o piloto da KTM, em declarações divulgadas pela assessoria de imprensa da equipa Tech3

O Grande Prémio do Qatar de MotoGP é a prova de abertura do Mundial de Velocidade. A corrida está prevista para domingo, às 17h00 horas.

Miguel Oliveira termina treinos livres com o 20.º tempo no Qatar

Miguel Oliveira (KTM) terminou esta sexta-feira na 20.ª posição o primeiro dia de treinos livres de MotoGP de 2019, no circuito de Losail, no Qatar, palco da prova de abertura do Mundial de velocidade, no domingo.

O piloto português, que tinha sido 18.º na primeira das duas sessões do dia, terminou a jornada desta sexta-feira com o tempo de 1.55,635 minutos, a 2,225 segundos do mais rápido, o espanhol Marc Márquez (Honda). O atual campeão do mundo pulverizou o recorde do circuito árabe, com o tempo de 1.53,380 minutos. Para Oliveira, o dia foi “complicado”, sobretudo “na parte final”.

“Sabíamos que a segunda sessão iria ser importante e toda a gente estava a forçar uma volta rápida, mas não conseguimos tirar partido do pneu que tínhamos montado”, explicou o almadense.

O português rodou 34 voltas, mas ainda está “a tentar perceber” onde pode melhorar na mota “para ganhar manobrabilidade à saída das curvas”. “Parece que é o pormenor que nos atrasa mais”, sublinhou Miguel Oliveira, dizendo acreditar que este sábado conseguirá “fazer uma boa terceira sessão de treinos livres e estar um pouco mais à frente” na tabela de tempos.

Miguel Oliveira superou, ainda assim, o seu companheiro de equipa na Tech3, o malaio Hafizh Syahrin, que foi apenas 22.º. Este sábado disputa-se a terceira sessão de treinos livres (12h15 horas) e a qualificação a partir das 17h00 horas.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)