MotoGP

MotoGP. Corrida pode ser antecipada no domingo por questões de segurança

179

Pilotos pedem antecipação em uma hora da corrida de domingo. Miguel Oliveira terminou a jornada desta sexta-feira a 2,225 segundos do mais rápido, num dia que para o piloto foi "complicado".

Vários pilotos têm pedido a antecipação, por questões de segurança, da corrida de MotoGP de domingo, no circuito de Losail, no Qatar

NOUSHAD THEKKAYIL/EPA

Autor
  • Agência Lusa

Vários pilotos têm pedido a antecipação, por questões de segurança, da corrida de MotoGP de domingo, no circuito de Losail, no Qatar, prova inaugural do Mundial de velocidade.

Sendo a única corrida a disputar-se à noite do campeonato, as condições da pista são afetadas pela descida de temperatura do asfalto depois do por do sol. Por isso, vários pilotos têm-se manifestado a favor da antecipação em uma hora do horário previsto (20h25 horas locais, menos três horas em Portugal).

O português Miguel Oliveira considera que será “difícil” que essa decisão vá em frente, mas defende a antecipação em “pelo menos meia hora”.

Cada dia aqui no Qatar é diferente e isso torna complicado tomar uma decisão. Hoje, por exemplo, tivemos condições perfeitas a partir das 20h00 horas [17h00 horas em Lisboa]. Normalmente, quando o sol se põe a temperatura desce bastante e foi isso que causou várias quedas no último dia de testes. Na reunião da Comissão de Segurança abordámos o assunto, mas parece-me inviável que este fim de semana se antecipe tudo uma hora. Talvez 30 minutos [seja possível], mas vamos aguardar pela decisão”, disse o piloto da KTM, em declarações divulgadas pela assessoria de imprensa da equipa Tech3

O Grande Prémio do Qatar de MotoGP é a prova de abertura do Mundial de Velocidade. A corrida está prevista para domingo, às 17h00 horas.

Miguel Oliveira termina treinos livres com o 20.º tempo no Qatar

Miguel Oliveira (KTM) terminou esta sexta-feira na 20.ª posição o primeiro dia de treinos livres de MotoGP de 2019, no circuito de Losail, no Qatar, palco da prova de abertura do Mundial de velocidade, no domingo.

O piloto português, que tinha sido 18.º na primeira das duas sessões do dia, terminou a jornada desta sexta-feira com o tempo de 1.55,635 minutos, a 2,225 segundos do mais rápido, o espanhol Marc Márquez (Honda). O atual campeão do mundo pulverizou o recorde do circuito árabe, com o tempo de 1.53,380 minutos. Para Oliveira, o dia foi “complicado”, sobretudo “na parte final”.

“Sabíamos que a segunda sessão iria ser importante e toda a gente estava a forçar uma volta rápida, mas não conseguimos tirar partido do pneu que tínhamos montado”, explicou o almadense.

O português rodou 34 voltas, mas ainda está “a tentar perceber” onde pode melhorar na mota “para ganhar manobrabilidade à saída das curvas”. “Parece que é o pormenor que nos atrasa mais”, sublinhou Miguel Oliveira, dizendo acreditar que este sábado conseguirá “fazer uma boa terceira sessão de treinos livres e estar um pouco mais à frente” na tabela de tempos.

Miguel Oliveira superou, ainda assim, o seu companheiro de equipa na Tech3, o malaio Hafizh Syahrin, que foi apenas 22.º. Este sábado disputa-se a terceira sessão de treinos livres (12h15 horas) e a qualificação a partir das 17h00 horas.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)