A Tesla possui uma rede com mais de 12.000 supercarregadores espalhados pelos mercados onde opera, dos EUA à China, passando pela Europa. Todos eles fornecem uma potência máxima de 125 kW, a dividir pelas duas saídas, com um máximo de 120 kW por veículo. Esta semana a marca americana estreou a terceira geração de superchargers, denominada V3, que permite fornecer 250 kW por carro, o que permite recarregar energia para percorrer 121 km (75 milhas) em apenas 5 minutos, no caso de um Model 3 Long Range.

Dos novos superchargers V3 há apenas um exemplar, instalado na zona da Baía de São Francisco, sendo ainda um equipamento experimental. O objectivo é alterar os 12.000 postos de carga espalhados pelo mundo, o que vai acontecer já a partir de Abril, nos EUA, cuja cobertura vai ser assegurada nos 2º e 3º trimestres de 2019, antes de ser alargada à Europa e à China no 4º trimestre deste ano.

Entretanto, nos superchargers actuais, os V2, a Tesla vai libertar over-the-air (OTA) a potência máxima com que conseguem lidar, 145 kW, o que mesmo a dividir por dois veículos em cada posto, em simultâneo, vai permitir fornecer 72,5 kW a cada um deles.

Serão os Model 3 a poder usufruir, para já, de todo o potencial de carga rápida dos V3, uma vez que estão equipados com as baterias mais modernas da Tesla, tanto em termos de células (as 2170, em vez das 18650 que equipam os Model S e X), como em matéria de gestão de energia. Contudo, a Tesla informa que os topos de gama S e X vão ser actualizados através do sistema OTA, nos próximos meses, tendo em vista garantir rapidamente o mesmo tipo de vantagens em termos de redução do tempo de carga.

Segundo o fabricante americano, os superchargers V3 vão melhorar a vida dos clientes da marca, tanto mais que o Model 3 vai rapidamente triplicar, provavelmente já este ano, o número de utilizadores dos veículos americanos. Face a esta realidade, os superchargers V3 não só vão permitir poupar tempo a quem carrega as baterias do seu veículo, como reduzir o tempo de espera a quem quer recarregar, uma vez que as operações, ao serem mais rápidas, vão servir mais clientes no mesmo espaço de tempo.

Nova tecnologia assegura avanço

Para optimizar a rapidez de carga dos seus veículos, a Tesla não se limita a melhorar a potência dos seus supercarregadores. Os veículos vão ser equipados OTA com a solução On Route Batery Warm-up, que prepara a bateria para abastecer a uma potência superio, à medida que o sistema sabe que nos aproximamos de um supercharger. E este é um passo importante para os clientes europeus, que têm de viver com os superchargers V2 até quase ao fim de 2019, uma vez que reduz o tempo de recarga em 25%.

Para que os carregadores V3 funcionem na perfeição, a Tesla procedeu a algumas melhorias tecnológicas, a começar pela introdução de uma bateria estacionária com a capacidade de 1 megawatt, similar às que a Tesla vende para estabilizar parques eólicos ou fotovoltaicos, ou até mesmo regiões de determinados países. Destinada a absorver picos de necessidade de corrente, por parte dos clientes, este acumulador “gigante” vai garantir que mesmo com dois veículos ligados ao mesmo posto em simultâneo, ambos vão receber 250 kW. Tal vai garantir 121 km de carga em apenas 5 minutos, o valor mais elevado disponível no mercado para veículos eléctricos, conforme realça a Tesla, extrapolando para 1.609 km (1.000 milhas) ao fim de somente 1 hora.

Para que tudo funcione sem problemas, os novos V3 estão equipados com refrigeração de cabo, o que os torna mais grossos, mas impede que aqueçam em demasia. Veja aqui como são os V3, por quem já teve ocasião de os colocar à prova: