Cerca de três meses depois de anunciar que iria interromper a carreira devido a um linfoma, Nuno Pinto, lateral de 32 anos do V. Setúbal, revelou esta sexta-feira que o tumor “desapareceu”. “É com enorme emoção, alegria que após cinco provas de fogo, a mais esperada notícia chegou…a batalha começou a ser derrotada . O PET (exame de contraste) que fiz esta semana, revelou que o linfoma desapareceu. No entanto, tenho que cumprir com a continuação dos tratamentos já agendados pelo IPO até ao fim (13 de junho). Contudo, cumprirei este protocolo ainda com mais contentamento . Resta-me agradecer à minha esposa, a força, o querer em me acompanhar constantemente e nunca me deixar cair. Brevemente voltarei a fazer o que mais gosto. CONTO CONVOSCO!”, escreveu o jogador no Facebook.

É com enorme emoção, alegria que após cinco provas de fogo, a mais esperada notícia chegou …A batalha começou a ser…

Posted by Nuno Pinto on Friday, March 8, 2019

De recordar que a notícia de que Nuno Pinto havia sido diagnosticado com um linfoma surgiu a meio de dezembro, logo depois de o V. Setúbal vencer o Benfica no Bonfim pela margem mínima. Na altura, o lateral anunciou que iria interromper a carreira no futebol e foram muitas as demonstrações de apoio por parte dos restantes clubes da Primeira Liga e dos colegas de profissão: Nani, então capitão do Sporting, entrou em campo perante o Nacional com uma camisola dos leões com o nome de Nuno Pinto e Gonçalo Paciência e Óliver Torres, por exemplo, enviaram mensagens de apoio ao lateral.

Na altura, o V. Setúbal deu uma conferência de imprensa onde Vítor Hugo Valente, presidente dos sadinos, e Vasco Fernandes, capitão de equipa, disseram algumas palavras de apoio a um dos elementos mais experientes do grupo. “Costuma-se dizer que por trás de um jogador está o homem. Estamos aqui com o Nuno Pinto, não enquanto jogador mas sim como homem, porque no âmbito de um exame detetado pelo nosso departamento médico foi verificado que tem um linfoma. A notícia foi um verdadeiro choque para nós mas no futebol estamos habituados a que na hora da derrota o primeiro pensamento é seguir-se uma vitória. Para evitar especulações, com o assentimento do Nuno, entendemos tornar público, sendo que é nestas horas que homens e instituições são colocados à prova. Neste caso, para nós, é fácil estar aqui nesta hora de dificuldade, por paradoxal que possa parecer. Contará com o apoio de todos nesta casa, dirigentes, staff, colegas e todos os que cá trabalham”, explicou Vítor Hugo Valente, citado pelo jornal O Jogo.

Nuno Pinto interrompe carreira de jogador aos 32 anos para lutar contra um linfoma

Já Vasco Fernandes, capitão cujas palavras acabaram por provocar um momento de alguma comoção de Nuno Pinto, acrescentou que o lateral “é um guerreiro e Deus dá grandes batalhas aos grandes guerreiros”. “Todos temos a certeza de que o Nuno vai vencer esta batalha. Tem a ajuda de grandes profissionais e de grandes pessoas. Da família, dos pais, dos filhos, da mulher, toda a gente vai ajudá-lo nesta batalha. Estaremos sempre com ele, em qualquer hora ou em qualquer momento. Ele é um dos nossos e nunca deixamos cair um dos nossos. Daqui a uns tempos vamos lembrar isto como mais uma batalha que vencemos. É um grande homem, uma grande pessoa e um grande pai. Ele vai vencer”, afirmou o jogador sadino.

“Força Nuno, a vitória está garantida!”: futebol português junta-se no apoio a Nuno Pinto

Depois de ter começado a jogar no Vilanovense, Nuno Pinto foi ainda como infantil para o Boavista, onde fez toda a formação entre alguns empréstimos entre Pasteleira, Candal e Vilanovense. Estreou-se em 2006/07 nos seniores dos axadrezados mas saiu por empréstimo para o Trofense na temporada seguinte, pela pouca utilização. Em 2008, assinou pelo Nacional, ficando três anos e meio na Madeira até iniciar quatro temporadas e meia no estrangeiro, entre Bulgária (Levski Sófia), Ucrânia (Tavriya) e Roménia (Astra Giurgiu). Regressou em 2015 à Liga portuguesa pelo V. Setúbal, assumindo-se desde início como titular na equipa dos sadinos como lateral ou ala, mediante as necessidades da equipa. Esta época, levava já 12 partidas oficiais (dez a contar para o Campeonato, uma para a Taça de Portugal e uma para a Taça da Liga).