Portugal conquistou este sábado 10 medalhas no segundo dia dos Campeonatos Europeus de atletismo de pista coberta da Federação Internacional para Atletas com Deficiência Intelectual (INAS), com destaque para a quinta medalha de Lenine Cunha.

Depois da prata no triplo salto e no pentatlo, Cunha chegou à 200.ª medalha em provas internacionais com o bronze nos 60 metros barreiras, antes de somar a 201.ª e 202.ª no salto em comprimento e na estafeta 4×200 metros, acompanhado por Carlos Freitas, Carlos Lima e Sandro Baessa. Para o atleta luso, medalha de bronze nos Jogos Paralímpicos de Londres2012, falta ainda a estafeta 4×400 metros e o salto em altura em Istambul para continuar a somar ‘metais’.

A portuguesa Carina Paim reforçou o domínio no contexto europeu dos 400 metros, uma vez que já tinha vencido no Europeu de 2018 e hoje voltou a ganhar a medalha de ouro, agora em pista coberta. Ana Filipe também terminou em primeiro lugar, nos 60 metros barreiras, com um tempo de 9,96 segundos, e conseguiu depois nova medalha, desta feita de bronze, no salto em comprimento, a terceira na prova, após a prata no triplo salto no primeiro dia.

Sandro Baessa também bisou, com o bronze nos 400 metros, além da estafeta 4×200, e Afonso Roll sagrou-se vice-campeão dos 3.000 metros marcha, distância em que Joana Silva foi medalha de bronze, na prova feminina, já depois de também ter conseguido o terceiro lugar nos 3.000 metros corridos.

No primeiro dia, a comitiva portuguesa, de 11 atletas, conseguiu quatro medalhas em Istambul, elevando a 14 o número de metais conseguidos ao segundo de quatro dias de prova, um valor já acima dos campeonatos de 2017, em Praga, quando alcançaram 13 medalhas.