Velas a um canto, cristais noutro. Plantas por toda a parte. Madeiras de cedro, linhas minimalistas. Este não é um espaço para todos. A Siendo, cuja mentora define como sendo uma boutique holística, reúne conceitos facilmente debatíveis — como cosmobiologia ou homeopatia –, mas que encontram um público dedicado. E é só com o disclaimer que prosseguimos.

Na Siendo, que abriu as portas em novembro último na Calçada das Necessidades, em Lisboa, promove-se o bem-estar com recurso a uma “medicina integrativa”, palavras da colombiana Margaret Rosania que, depois de uma intensa carreira enquanto diretora criativa em Nova Iorque, encontrou um novo rumo: e tudo começou com o ioga. Foi o ano sabático pela Ásia e pela América do Sul, que acabaria por se estender por três anos, que lhe trouxe contacto com alguns dos serviços que hoje estão disponíveis na sua boutique: aromaterapia, cosmobiologia, osteopatia, crano-sacral, ayurveda, feng shui e homeopatia. Além do estúdio de ioga, com vestuário e balneário, o espaço desenhado pelo marido, cujo trabalho de arquitetura é orientado pela filosofia milenar chinesa, é dotado de salas para terapia, um consultório e um espaço comunitário.

© Manuel Manso

Antes da Siendo, Margaret chegou a acordar sucessivamente às 03h da manhã para conseguir cumprir um calendário ambicioso: fazer a prática pessoal de ioga, ser assistente em aulas de ioga e chegar ao escritório pelas 09h, de onde às vezes só saía já na madrugada do dia seguinte. “Era uma loucura, mas era uma loucura que fazia sentido para mim”, conta ao Observador. O horário viria a tornar-se insustentável, mesmo sendo ela uma das sócias da empresa nova-iorquina com 30 funcionários a full time. Sem surpresas, a vida agitada de negócios — que incluía fazer pós-produção para canais como MTV e VH1 ou para artistas conhecidos — deu de si.

Seguiu-se a vida de errante pela Ásia e pela América do Sul. Mais tarde, Margaret conhece o marido e muda-se com ele para o Brasil, onde o filho nasce. Durante anos trabalha como “health coach”. Uma visita a Portugal, em novembro de 2017, altera tudo para a família. Em apenas quatro meses Margaret muda-se para Lisboa. O filho e o marido chegam uns meses depois. É na capital portuguesa que a “cosmobióloga” abre a boutique idealizada, a qual diz funcionar como “uma segunda casa”.

Na Siendo, a equipa é multidisciplinar e as teorias, a ver, são complementares. “A pessoa pode vir com uma necessidade e, na verdade, precisar de outra”, diz Margaret ao Observador. O ioga, esclarece, serve como quebra-gelo, como uma primeira iniciativa para comunicarmos com o nosso próprio corpo e “sentirmos aquele músculo que não sabíamos que existia”. A partir daí, e caso seja vontade do cliente, há todo um universo holístico a conhecer. “Tailor Made” é expressão levada a sério na Siendo.

© Manuel Manso

Um kit a pensar na primavera

O cuidado com o bem-estar individual também se reflete na mudança das estações. A pensar na primavera que galopa a passos largos — e que trará, se tudo correr bem, dias mais longos e temperaturas mais amenas — Margaret criou um kit recentemente lançado que assegura ser de “autocuidado” e que “acompanha o movimento da estação”. Uma das formas mais fáceis de vermos a passagem do tempo acontece com a chegada e a partida das estações, lembra Margaret. Essa mudança, refere, é vivida de forma superficial, com o vestir ou despir o casaco, sendo que “não está ligada ao cuidado interior”. Em causa está uma conversa sobre energia, sobre equinócios que “impactam a nossa biologia interna”.

Serve, então, o kit feito em parceria com a marca Talismana para “educar para a importância de ferramentas que consigam acompanhar a mudança de estação”, que pode ser vendido num todo (110 euros) ou produto a produto. Dele fazem parte um Season Massala, tempero criado “para auxiliar a parte digestiva na mudança da estação”, que leva cominho, açafrão, gengibre, pimenta branca, mostarda e canela, mas também um chá específico (sencha, kombucha e malva), pau de santo (da árvore Palo Santo; este em particular vindo do Peru) — que tem como propriedade “limpar o ambiente” e deve ser acompanhado de um cristal –, e ainda óleos, bálsamos labiais e argila (a aplicar em fase de lua nova e lua cheia), entre outros produtos, que devem começar a ser usados três dias antes da mudança da estação. Se o kit funciona ou não, deixamos ao critério da experiência.

Calçada das Necessidades 56 Cave Esquerda, Lisboa