Eurogrupo

Centeno quer avanços já esta segunda-feira na proposta de orçamento para a zona euro

O presidente do Eurogrupo defendeu que "é preciso tomar decisões e começar a construi-las" já na reunião desta segunda-feira sobre a proposta de orçamento para a zona euro.

Mário Centeno explicou ainda que ficou decidido dividir a discussão do orçamento em três partes, sendo que a primeira será discutida já esta segunda-feira

STEPHANIE LECOCQ/EPA

O presidente do Eurogrupo disse esperar que a proposta que ficou de apresentar em junho aos líderes europeus sobre um instrumento orçamental próprio para a área do euro comece a ganhar forma já na reunião desta segunda-feira em Bruxelas.

À entrada para uma reunião do fórum de ministros das Finanças da zona euro, Mário Centeno apontou que terá lugar esta segunda-feira à tarde a “primeira discussão em grande detalhe sobre o instrumento orçamental para a zona do euro”, centrada “no lado da despesa”, ou seja, sobre os possíveis instrumentos a utilizar “para promover a convergência e a competitividade nos países da área do euro”.

Através de empréstimos ou subsídios a fundo perdido, é preciso tomar decisões e começar a construi-las a partir de hoje nesta dimensão, para termos uma proposta fechada em junho”, declarou.

Mário Centeno explicou que ficou decidido dividir a discussão sobre o orçamento próprio para a zona euro em “três partes“, a primeira das quais sobre “quais são os instrumentos e como é que eles são desenhados”, que terá então lugar já esta segunda-feira.

Em abril, prosseguiu, discutir-se-á então “a questão da governação do orçamento”, e só depois, “no final do semestre”, será debatida a questão do financiamento, ou seja, a dimensão do envelope orçamental.

“Nós estamos preocupados em ter os instrumentos mais efetivos e desenhados da forma mais eficaz, e essa é a nossa grande preocupação” agora, salientou.

Em dezembro passado, Centeno recebeu um mandato dos chefes de Estado e de governo da zona euro para trabalhar numa proposta de uma capacidade orçamental própria para a convergência na zona euro, há muito defendida pelo Governo português, e que é suposto ser apresentada em junho de 2019.

No final da cimeira do euro de 14 de dezembro último, o primeiro-ministro, António Costa, regozijou-se com o mandato “com um prazo específico” dado a Mário Centeno para avançar na capacidade orçamental focada na convergência, uma matéria que “tem sido uma prioridade claramente afirmada por Portugal”.

No final da anterior reunião do Eurogrupo, em fevereiro, Centeno afirmou-se “certo” de que os países da moeda única vão alcançar um acordo sobre um instrumento orçamental próprio para a convergência e competitividade na zona euro até junho.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Desigualdade

Estudar é para todos?

José Ferreira Gomes

Todos os jovens merecem igual consideração e há que evitar oferecer diplomas sem valor futuro no mercado de trabalho. O facilitismo só vem prejudicar os jovens, em especial os socialmente mais frágeis

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)