Um avião teve de regressar ao aeroporto de onde tinha partido depois de uma passageira ter percebido que se tinha esquecido do seu bebé em terra, conta a Gulf News. O voo SV832, da Saudi Arabian Airlines, estava a viajar de Gidá, na Arábia Saudita, para Kuala Lumpur, na Malásia, quando uma mulher se apercebeu de que o filho tinha ficado com a tia, que tinha entrado no autocarro errado no aeroporto. Quando se apercebeu do erro, a mulher avisou a tripulação do esquecimento. E o avião voltou para trás.

Um vídeo publicado no YouTube mostra o momento em que o piloto do avião tenta explicar ao controlo aéreo o que o levava a querer aterrar o avião: “Que Deus esteja connosco. Podemos voltar?”. Ninguém acreditava na história contada pelo piloto, mas ele insistiu: “Já vos disse. Uma passageira deixou o bebé dela no terminal e recusa-se a continuar o voo”. No vídeo também se ouve a conversa entre dois controladores aéreos: “O voo está a pedir para regressar. Uma passageira esqueceu-se do bebé na zona de espera, coitadinha da criança”.

Após uns minutos de debate, a torre de controlo aéreo deu autorização ao voo SV832 para voltar para trás e aterrar no Aeroporto Internacional Rei Abdulaziz. “Esta é uma situação completamente nova para nós”, acrescenta um trabalhador. Casos como este são muito raros: normalmente os voos só são interrompidos e obrigados a voltar para trás caso o aparelho apresente algum problema técnico ou se um passageiro apresentar algum problema de saúde.

No entanto, já houve outros insólitos a obrigar aviões a aterrar de emergência. Em 2013, por exemplo, um voo da American Airlines  entre Los Angeles e Nova Iorque foi interrompido porque um passageiro recusava-se a parar de cantar “I Will Always Love You” de Whitney Houston. No ano seguinte, em Nova Iorque, um avião que devia ter viajado até Seul foi obrigado a voltar ao terminal porque uma hospedeira de bordo serviu nozes num pacote de plástico, e não numa taça, a Cho Hyun-ah, herdeira da companhia aérea sul-coreana, recordou o The Guardian.