O banco britânico NatWest está a testar novos cartões de débito onde o PIN deixa de ser necessário e a autorização passa a ser dada através de um leitor de impressões digitais embutido no cartão. Com este sistema, deixa de ser necessário recorrer ao PIN para ultrapassar o valor permitido pelo sistema de pagamentos por contactless.

Atualmente, com o sistema contactless basta aproximar o cartão do terminal e não é necessário introduzir o PIN para pagamentos até 20 euros – em Portugal, no Reino Unido o limite é de 30 libras. Com estes novos cartões de débito a autorização para pagamentos de valor superior passa a ser dada através da leitura da impressão digital, deixando de fora o tradicional código PIN.

O leitor de impressões digitais está embutido num dos cantos do próprio cartão de débito, funcionando assim nos terminais de pagamento habituais. O sistema foi desenvolvido pela empresa holandesa Gemalto e tinha sido já testado em Itália, no ano passado. A empresa garante que a informação da impressão digital é guardada apenas no cartão de débito e que não é enviada para o banco, garantindo assim a segurança do cliente.

Para já, os clientes ainda têm que ir ao banco para registar a impressão digital, mas a empresa que desenvolve a tecnologia espera que, nas próximas versões, o registo da impressão possa ser feito a partir de um smartphone, dispensado a ida a uma agência tradicional.

O NatWest está a testar este novo cartão junto de 200 clientes e está a fazê-lo em contacto permanente com a Visa e com a Mastercard para que o cartão seja compatível com o maior número de sistemas de pagamento.

Portugal ainda utiliza pouco o sistema contactless

Segundo dados divulgados pela Mastercard em Setembro do ano passado, Portugal ainda tem uma quota muito reduzida de utilização do sistema contactless. Apesar de 2017 para 2018 a Mastercard ter registado um aumento de 126%, a quota de pagamentos com este sistema ainda é inferior a 3%.

Noutros países, os pagamentos com o sistema que permite não ter que colocar o PIN ou colocar o cartão no terminal abrange já 30 a 50% das transações.