BMW

BMW quer aumentar para 600 número de empregos nos centros tecnológicos este ano

A BMW tem como objetivo ter até "perto de 600" pessoas a trabalhar nos centros tecnológicos Critical TechWorks em Lisboa e no Porto até ao final do ano, divulgou a empresa.

CYRIL ZINGARO/EPA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

A BMW tem como objetivo ter até “perto de 600” pessoas a trabalhar nos centros tecnológicos Critical TechWorks em Lisboa e no Porto até ao final do ano, divulgou a empresa.

“Por agora temos 320 trabalhadores nas duas localizações e no final do ano queremos acelerar até perto de 600, e além disso no futuro”, disse o diretor de informação da BMW, Klaus Straub, à Lusa, à margem da inauguração dos escritórios da Critical TechWorks, uma parceria entre a BMW e a Critical Software, em Lisboa.

Questionado sobre se pretende investir noutras cidades portuguesas além de Lisboa e Porto, o responsável disse que “no setor tecnológico o desenvolvimento é sempre de um dia a seguir ao outro”, e que a empresa “não planeia para os próximos 10 anos”.

“Queremos desenvolver estas duas localizações [Lisboa e Porto] de uma forma forte, para que exista um trabalho estável por si, e depois veremos”, explicou.

Já Cristoph Grote, vice-presidente da área de eletrónica da BMW, garantiu que a empresa vai “crescer” em Portugal, “com um máximo de pessoas competentes e perfeccionistas”, e que quer ficar no país “a longo prazo”, já que encontrou “muito talento”, “mentalidade”, “personalidade” e “perseverança”.

Durante a cerimónia de inauguração, o presidente da Critical Software, Gonçalo Quadros, disse, sem adiantar valores concretos, que a empresa cresceu 40% em 2018. Em 2017, a empresa registou um lucro de 32 milhões de euros.

Klaus Straub explicou ainda que o centro lisboeta estará em conexão permanente com os do Porto, Munique, África do Sul, Ásia e América.

Por sua vez, o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita, salientou que o país, na área tecnológica, está “perante uma grande oportunidade que não pode desperdiçar”, pelo facto de a “revolução digital” ser a “primeira revolução industrial que não depende de matérias primas ou localização”.

O grupo BMW detém 51% da CriticalTechWorks, que desenvolve ‘software’ para automóveis, envolvendo, por exemplo, tecnologias de inteligência artificial para carros autónomos.

Comparador de carros novos

Compare até quatro, de entre todos os carros disponíveis no mercado, lado a lado.

Comparador de carros novosExperimentar agora
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)