Rádio Observador

Cabo Verde

Cabo Verde vai assinar em setembro acordo de cooperação estratégica com Israel

O primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, afirmou que deve assinar em setembro um acordo de cooperação alargado com Israel em áreas estratégicas para Cabo Verde.

Ulisses Correia e Silva, primeiro-ministro de Cabo Verde

JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, afirmou esta quarta-feira que deve assinar em setembro um acordo de cooperação alargado com Israel em áreas estratégicas para Cabo Verde.

Acabado de regressar de Israel, o governante cabo-verdiano passou pela Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), que decorre até domingo, e numa breve paragem no ‘stand’ do seu país fez um “balanço muito positivo” da visita a Israel.

“Vamos estabelecer um acordo de cooperação alargado em áreas de interesse estratégico para Cabo Verde, incluindo a água e agricultura, segurança, tecnologia e inovação, energias renováveis, desenvolvimento de ‘startups” e saúde”, disse Ulisses Correia e Silva.

O chefe do Governo cabo-verdiano liderou uma delegação composta pelos ministros dos Negócios Estrangeiros, Luís Filipe Tavares, da Administração Interna, Paulo Rocha, e da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, e levou a Israel uma agenda focada naquelas áreas.

O acordo que vai concretizar os compromissos políticos assumidos durante a visita deve ser celebrado em setembro, adiantou.

A visita deixou também uma porta aberta para uma representação diplomática permanente de Cabo Verde naquele país do Médio Oriente.

Atualmente Cabo Verde tem uma representação não permanente, mas segundo Ulisses Correia e Silva “houve indicações de interesse” no sentido de abrir uma representação permanente.

“Estamos a estudar o assunto e, brevemente, iremos tomar uma decisão”, continuou o governante, sem detalhar onde e quando se concretizará a medida.

Cabo Verde esteve entre os 128 países que votaram favoravelmente, no final de 2017, na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), uma resolução que condenou o reconhecimento pelos Estados Unidos da América de Jerusalém como a capital de Israel.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)