Euribor

Taxas Euribor descem a três, seis e 12 meses

A taxa Euribor desceu esta quarta-feira desceu para -0,310%, ja a seis meses caiu para -0,232% e no pazo de 12 meses também recuou, ao ser fixada em -0,109%.

As taxas Euribor a três, seis e 12 meses entraram em terreno negativo em 2015, respetivamente

JASON SZENES/EPA

Autor
  • Agência Lusa

As taxas Euribor desceram esta quarta-feira 0,001 pontos nos prazos de três, seis e 12 meses em relação a terça-feira.

A Euribor a três meses desceu quarta-feira para -0,310%, menos 0,001 pontos e contra o atual máximo desde julho registado pela primeira vez em 24 de janeiro (-0,306%) e o atual mínimo de sempre, de -0,332%, verificado pela primeira vez em 10 de abril de 2017.

A taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação, caiu quarta-feira para -0,232%, menos 0,001 pontos, tendo o atual máximo desde julho sido registado em 27 de fevereiro (-0,229%) e o atual mínimo de sempre, de -0,279%, sido verificado pela primeira vez em 31 de janeiro de 2018.

No prazo de 12 meses, a taxa Euribor também recuou, ao ser fixada em -0,109%, menos 0,001 pontos percentuais, contra o atual máximo desde julho, de -0,108%, verificado pela primeira vez em 6 de fevereiro, e o atual mínimo de sempre, de -0,194%, atingido pela primeira vez em 18 de dezembro de 2017.

As taxas Euribor a três, seis e 12 meses entraram em terreno negativo em 2015, respetivamente, em 21 de abril, 6 de novembro e 5 de fevereiro.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Demografia

Envelhecimento e crescimento económico /premium

Manuel Villaverde Cabral

Nada é mais importante para países como Portugal do que o imparável envelhecimento da população e as suas consequências a todos os níveis da sociedade, da saúde ao potencial de crescimento económico.

Crónica

Amorfo da mãe /premium

José Diogo Quintela

O Governo deve também permitir que, no dia seguinte ao trauma que é abandonar a criança no cárcere escolar, o progenitor vá trabalhar acompanhado pelo seu próprio progenitor. Caso precise de colinho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)