Os pneus convencionais, tal como os conhecemos, em borracha e com ar lá dentro, são uma invenção a que poucos dão o devido valor. São peça fundamental no conforto, ou não fossem eles quem primeiro tem de lidar com as irregularidades do piso, além de garantirem a desejada aderência, o que ajuda no momento de acelerar, travar e curvar.

Mas como a borracha não é à prova de furos, especialmente quando está ressequida e desgastada, por vezes estas surpresas desagradáveis acontecem. E se o condutor já utilizou o pneu sobressalente num furo anterior, corre o risco de não ter como continuar a viagem, especialmente em locais onde os serviços de assistência não abundam.

Este caso aconteceu na Rússia, cujos automobilistas das zonas mais remotas estão habituados a lidar com as dificuldades de forma particularmente criativa. O condutor do furgão não só não tinha pneu sobressalente, como também não tinha onde o comprar ou até mesmo remendar o furado. Mas numa região particularmente arborizada, resolveu deitar mão ao que tinha em abundância: árvores.

Cortou um tronco que lhe pareceu à medida, amarrou-o à suspensão e criou o primeiro furgão com um patim para deslizar no asfalto. É claro que o tronco não vai durar eternamente, mas até desaparecer por completo, fruto da fricção no asfalto, deverá percorrer umas dezenas de quilómetros. E como troncos é coisa que ali não falta, o resto da viagem está desde logo garantida…