Foi encontrado um arsenal,  na embaixada da Coreia do Norte em Madrid: espingardas, snipers e armas brancas estavam guardas em grandes quantidades dentro do edifício diz o El Mundo. A polícia espanhola encontrou o armamento enquanto investigava o assalto de 22 de fevereiro de 2019 à embaixada, em que foram levados computadores e documentos diplomáticos.

Fonte policial disse ao mesmo jornal que não havia qualquer explicação comprovada para a presença das armas, mas que pelo menos parte poderia ser equipamento utilizado pelos assaltantes de fevereiro. No edifício estavam agentes do Comissariado Geral de Informação da Polícia Nacional (similares aos Serviços Secretos) e da Provedoria da Justiça Espanhola, para além da polícia local.

O assalto decorreu antes da segunda cimeira entre o presidente da Coreia do Norte, Kim Jong-un, e o presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump. O El País avançou na quarta-feira que a polícia espanhola considera o roubo uma operação encoberta dos Serviços Secretos norte-americanos, a CIA.

Durante a noite de sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019, um grupo de homens não identificados terão sequestrado os funcionários norte-coreanos durante quatro horas enquanto reuniam computadores e documentos para roubar. Chamado ao local, um agente da Polícia Nacional dirigiu-se à embaixada, onde um “homem bem vestido, com um pin de Kim-Jon un [líder da Coreia do Norte]”, como o descreveu fonte policial, abriu a porta e garantiu que estava “tudo normal” no edifício.

A polícia espanhola manteve uma patrulha próxima da embaixada e viu os carros dos assaltantes deixar o local — um dos condutores seria o homem que abrira a porta a um agente minutos antes. Os funcionários norte-coreanos começaram a fugir da embaixada em seguida.