Rádio Observador

Tesla

Model Y é oficial. Oferece cinco ou sete lugares e até 540 km de autonomia

Elon Musk apresentou nesta madrugada o mais recente membro da gama Tesla. O Model Y chega ao mercado no Outono de 2020, oferece sete lugares e autonomia até 540 km. Preços desde 39 mil dólares.

Tal como prometido, a Tesla desvendou nesta madrugada o crossover de entrada na sua gama. Parecendo um Model X em ponto pequeno, o Model Y tem como base o Model 3 e custará pouco mais do que a berlina eléctrica californiana, com a vantagem de oferecer uma bagageira generosa, muito espaço no habitáculo e a melhor relação preço/autonomia do mercado, entre os SUV.

A gama vai ser composta por quatro versões: Standard e Long Range com tracção traseira e um único motor; Long Range e Performance com tracção integral e dois motores. E, tal como acontece com o Model 3, a versão de entrada será a última a chegar ao mercado, na Primavera de 2021. As restantes estão programadas para o Outono do próximo ano.

A versão topo de gama é a Dual Motor Performance AWD, que anuncia 480 km de autonomia com uma única carga (estimativa da marca para o ciclo WLTP), cumpre os 0 a 100 km/h em 3,7 segundos e atinge 241 km/ de velocidade máxima. A versão com tracção às quatro rodas Long Range tem um desempenho ligeiramente inferior (velocidade máxima de 217 km/h e 100 km/h após arranque parado ao fim de 5,1 segundos), mas em contrapartida vê a autonomia crescer até aos 505 km. O melhor alcance, contudo, é reclamado por esta mesma versão, mas apenas com tracção traseira. Neste caso, uma carga permite percorrer até 540 km, os 100 km/h chegam ao fim de 5,8 segundos, com o velocímetro a parar nos 209 km/h. O Y menos oneroso é proposto nos EUA por valores a partir de 39 mil dólares (34.444€) e anuncia 390 km de autonomia em WLTP, cumprindo os 100 km/h em 6,3 segundos, para depois atingir 193 km/h de velocidade de ponta.

Se o mercado português seguir as pisadas do que está previsto para Espanha, então o Y vai começar a chegar aos clientes no início de 2021, ou seja, depois de começar a satisfazer as reservas no mercado doméstico, que já abriram e exigem um depósito de 2.500 dólares. Aqui ao lado, os preços do Long Range mais acessível iniciam-se nos 56.000€, com tracção integral sobem para os 61.000€, com o Performance a exigir em troca 69.000€. Comparando estes valores com que os que são praticados também em Espanha para o Model 3, nas versões que já estão à venda, temos que o Model Y Long Range AWD custa mais 5.000€ que o Model 3 equivalente, sendo a diferença inferior no Performance (2.100€). Se por cá for respeitada esta diferenciação de preços, é de esperar que a versão mais cara do crossover americano seja comercializada por valores na ordem dos 70.000€, pois o 3 equivalente custa 68.000€ em Portugal. O Long Range com dois motores orçará em 61.900€, partindo do pressuposto que atrás mencionámos. E se estes valores se vierem a confirmar, então o Model Y mais caro vai ser mais barato que a versão mais acessível do I-Pace, que é comercializada entre nós por 80.417€.

Embora mais pequeno que o Model X (as medidas não foram divulgadas), o Model Y surpreende por também ele oferecer até sete lugares (opcional), se for essa a vontade do cliente. E nos Estados Unidos, por exemplo, esta característica tem atraído um número crescente de compradores, com 60% a preferirem adquirir um modelo com três filas de bancos. Rebatidos os bancos da segunda e terceira filas, a capacidade máxima da bagageira cifra-se em 1.869 litros. A Tesla não divulgou qual a volumetria da mala com os assentos na posição normal.

Generoso em altura, o habitáculo acolhe sem problemas ocupantes de maior estatura e brinda-os com um ambiente minimalista, seguindo as pisadas do Model 3. Tal como na berlina, o crossover exibe ao centro um ecrã central de 15 polegadas, a partir do qual se controlam todas as funcionalidades do veículo.

Em termos de assistência à condução, o Y equipado com Autopilot conta 12 câmaras, outros tantos sensores ultra-sónicos e um radar à frente, que servem de base a um nível 2 de condução autónoma. Ou seja, o eléctrico facilita a vida do condutor combinando o cruise control adaptativo com o assistente de manutenção na faixa de rodagem e a detecção de obstáculos com travagem de emergência. Segundo a marca, o Y pode subir um grau na autonomia, isto é, passar a nível 3, sem que seja necessário hardware adicional.

Quanto ao carregamento, o crossover da Tesla é compatível com a rede de superchargers de terceira geração (V3), que permite fornecer 250 kW. Nestas condições, bastam cinco minutos para que um Model 3 Long Range receba energia para percorrer 121 km.

A apresentação previa a oportunidade de dar uma volta no Model Y e quem andou tratou de registar o momento, como pode ver nos vídeos abaixo.

Pesquisa de carros novos

Filtre por marca, modelo, preço, potência e muitas outras caraterísticas, para encontrar o seu carro novo perfeito.

Pesquisa de carros novosExperimentar agora

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: scarvalho@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)