Duas pessoas morreram hoje na sequência da queda de uma aeronave ligeira em Bragança, disseram à Lusa fontes do INEM e do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Bragança. As duas vítimas são um piloto da TAP de 26 anos e um empresário de 60, ambos daquela cidade e membros do Aeroclube de Bragança. Os dados sobre as vítimas foram dados à agência Lusa por fonte da direção do Aeroclube de Bragança.

A aeronave que caiu ao final da tarde de hoje na zona de Aveleda e Rio de Onor, num local muito próximo do Aeródromo de Bragança, tinha sido usada pouco tempo antes por um outro membro daquele aeroclube, o piloto Telmo Garcia. O piloto referiu, em declarações à Lusa, que o voo que fez correu bem e que não detetou “nenhum problema” na aeronave ultraligeira de dois lugares. Telmo Garcia contou que tinha aterrado o aparelho, “comprado recentemente, cerca das 17:00 no aeródromo de Bragança. Para aquele piloto, “tudo aponta para que tenha sido falha estrutural do aparelho”, visto que “uma asa está a cerca de 150 metros dos outros destroços”.

Segundo fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Bragança, em declarações à Lusa, o alerta para uma “explosão e queda de aeronave ligeira” foi dado às 17:54.

Uma testemunha, Flávio Alves, habitante da aldeia de Varge, situada junto ao local da queda, relatou ter visto o avião “a passar várias vezes” e que, no momento do acidente, ouviu “uma explosão” e viu “peças a cair”.

De acordo com fonte aeronáutica, as duas vítimas mortais “tinham ‘brevet’ de piloto”.

No local estavam, cerca das 18:30, segundo o CDOS, 15 bombeiros apoiados por seis viaturas.

O Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAFF), disse à Lusa fonte daquele organismo, já tomou conhecimento do acidente e vai enviar uma equipa para o local para iniciar uma investigação.