Foi encontrada em bom estado a caixa negra do Boeing 737 Max 8 da Ethiopian Airlines e uma primeira análise foi suficiente para extrair informação mais detalhada sobre o avião que se despenhou há uma semana na Etiópia. Segundo a ministra dos transportes desse país, já deu para identificar “uma clara semelhança” entre o acidente que envolveu o aparelho da Ethiopian Airlines e um outro, separado por cerca de cinco meses, do voo 610 da companhia Indonesian Lion Air. A informação foi avançada este domingo por Dagmawit Moges, citada por jornais como o The Washington Post.

“Claras semelhanças fora encontradas entre os o voos 302, da Ethiopian Airlines, e 610, da Indonesian Lion Air. Elas serão investigadas mais ao pormenor muito em breve”, contou Moges aos jornalistas antes de adicionar que um relatório preliminar do desastre mais recente será avançada “dentro de 30 dias”.

As autoridades já confirmaram que 157 pessoas de 35 países perderam a vida no voo que tinha Nairobi como destino. Este e outro desastre (o tal da indonésia Lion Air) levantaram várias suspeitas sobre o modelo de avião utilizado em ambos os casos e isso fez com que dezenas de autoridades de todo o mundo se recusassem a ser sobrevoadas por esses Boeings 737 Max 8.

A empresa norte-americana Boeing encontra-se debaixo de fogo e está perante a difícil tarefa de conseguir provar que os seus aviões são seguros para voar. Existem fortes suspeitas de que sensores e software utilizados pelas aeronaves foram feitos de forma defeituosa e isso, tudo indica, terá contribuído para os acidentes aéreos.

Artigo atualizado às 19:04