Rui Rio

PSD questiona tarifas reduzidas nos passes de Lisboa. “Até que ponto é justo?”

314

À saída de um encontro com o Presidente da República, o presidente do PSD disse que "o grosso do país" é "completamente abandonado nesta matéria" e questionou a concentração dos apoios em Lisboa.

ANDRÉ KOSTERS/LUSA

O presidente do PSD, Rui Rio, questionou a justeza dos passes sociais mais baratos nas Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto, quando “o grosso do país” é “completamente abandonado nesta matéria”.

No final de uma reunião com o Presidente da República, o líder do PSD começou por referir que “ninguém põe em causa em Portugal que, quanto mais baratos forem os passes sociais, naturalmente melhor para as pessoas, particularmente aqueles que têm mais dificuldades económicas”.

“Agora, o que nós questionamos é, até que ponto é que é justo que isto seja extremamente centrado na Área Metropolitana de Lisboa, e um pouquinho no Porto, e que o grosso do país seja completamente abandonado nesta matéria”, vincou.

Na opinião de Rio, “não é justo, não é correto que os portugueses do interior, e sem ser do interior, estejam através dos seus impostos a subsidiar os passes na Área Metropolitana de Lisboa”.

Para o presidente do PSD, “isto resolvia-se se fosse da responsabilidade das câmaras municipais”, mas “sendo o Orçamento do Estado, sendo os impostos dos portugueses a pagar, então tem de haver igualdade, não se pode privilegiar nenhuma área específica do país”.

O Governo e os presidentes dos municípios da Área Metropolitana de Lisboa (AML) assinaram esta segunda-feira na capital os contratos para a entrada em vigor, em abril, de um passe único nos 18 concelhos da AML, que custará no máximo 40 euros.

Na altura, o primeiro-ministro, António Costa, assegurou que a redução tarifária é “um programa nacional”, que beneficiará, já a partir de 1 de abril, 85% da população portuguesa.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Rui Rio

Por este Rio abaixo! /premium

Luís Reis
303

Rio autopromoveu-se para além do limiar da sua incompetência, mas não para além do seu ego. O Princípio de Peter pode ser agora rebaptizado: o Princípio de Rio. Esse Princípio será também o seu fim.

Política

Um país “grátis”

Diogo Prates

A feira de promessas em que está a tornar-se a pré-campanha eleitoral não só coloca em risco os sacrifícios que foram feitos no passado mas, mais grave, põe em causa o principio básico da igualdade.

Ensino Superior

Bolonha, 20 anos depois

José Ferreira Gomes

Temos um falso sistema de dois ciclos de licenciatura e mestrado porque se está a generalizar a prática de admitir a mestrado estudantes que não concluíram a licenciatura. Estranho? Não em Portugal!

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)