Cinema

DiCaprio, Brad Pitt, cavalos e tiros em Hollywood: eis o primeiro trailer do novo filme de Tarantino

234

Foi revelado o primeiro trailer do próximo filme do realizador Quentin Tarantino, que recua a 1969 e tem também Margot Robbie no elenco. É um dos filmes mais esperados deste verão.

A Sony Pictures Entertainment revelou esta quarta-feira, 20 de março, o primeiro trailer de um dos filmes que mais expectativa tem causado para os próximos meses: “Once Upon a Time In Hollywood”. O filme, que em Portugal terá o título “Era Uma Vez em… Hollywood”, terá Brad Pitt e Leonardo DiCaprio como protagonistas e é realizado por Quentin Tarantino, autor de “Pulp Fiction”, “Kill Bill — A Vingança”, “Sacanas Sem Lei” (com Brad Pitt num dos principais papéis) e “Django Libertado” (que já tinha DiCaprio como protagonista), entre outros.

Além de Brad Pitt e Leonardo DiCaprio, o filme tem também Margot Robbie, Emile Hirsch, Al Pacino, Lena Dunham e o recém-falecido Luke Perry no elenco, entre outros. “Once Upon a Time In Hollywood” chegará às salas de cinema norte-americanas no dia 26 de julho. Em Portugal, o site IMDB prevê que o filme estreie com o título “Era uma Vez em… Hollywood” no dia 8 de agosto. Antes de chegar às salas de cinema, o filme deverá estrear no festival de cinema de Cannes, no qual Tarantino recebeu há 25 anos o grande prémio (“Palma de Ouro”) pelo marcante “Pulp Fiction”.

O filme passa-se em Hollywood ,em 1969 (há, portanto, precisamente 50 anos), época em que o culto de homicídios em série liderado por Charles Manson chocou o mundo, resultando no assassinato de cinco pessoas em apenas dois dias. Leonardo DiCaprio vai interpretar o papel de um ator de televisão e Brad Pitt assegurará o papel do seu duplo. Ambos tentam passar do pequeno ecrã para os holofotes de Hollywood. A atriz Margot Robbie interpretará Sharon Tate, atriz e uma das vítimas dos assassinatos do culto a Charles Manson, que é interpretado por sua vez por Damon Herriman. O ator Rafał Zawierucha ficou com o papel de Roman Polanski, realizador ainda vivo que era à época casado com Sharon Tate.

No primeiro trailer revelado, que pode ser visto acima, não faltam alguns dos ingredientes mais marcantes dos filmes recentes de Quentin Tarantino, espécie de crime westerns onde há cavalos, violência e tiros (muitos).

Além de realizador, Quentin Tarantino é também argumentista e produtor do filme. O norte-americano nasceu em 1963 e ter-se-á “inspirado” para o filme “na sua própria educação no interior da contra-cultura louca e hippie de Los Angeles”, refere a revista Variety. “Tenho estado a trabalhar neste argumento há cinco anos, além de ter vivido em Los Angeles durante a maior parte da minha vida, incluindo em 1969, quando tinha sete anos. Estou muito entusiasmado por poder contar esta história de uma Los Angeles e uma Hollywood que já não existem”, chegou a dizer o realizador, também citado pela revista norte-americana.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: gcorreia@observador.pt
Cinema

Amigos improváveis e a solidão dos revolucionários

António Pimenta de Brito

O filme “Greenbook” é um hino a uma liberdade que pode fazer tudo, uma liberdade que, mesmo com condicionantes, não desiste das suas possibilidades, na busca pela felicidade, dignidade e amor.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)