Enfermeiros

Na Madeira, há acordo com os enfermeiros sobre as carreiras

698

Governo Regional da Madeira chegou a acordo com os sindicatos do setor, noticia o Público. Cedência vai custar cerca de quatro milhões ao orçamento regional.

ANT

O Governo Regional da Madeira chegou a acordo com os sindicatos dos enfermeiros, à semelhança do que aconteceu com os professores há alguns meses, para o pagamento da verba que diz respeito aos anos em que o tempo de serviço dos enfermeiros esteve congelado. A notícia é do Público, que adianta que a cedência vai custar ao orçamento regional cerca de quatro milhões de euros.

Nos termos do acordo, os enfermeiros vão receber a devolução da verba já a partir de maio, um processo que será feito de forma faseada, até 2021. Para já, os próximos meses de maio e outubro são os dois momentos em que os enfermeiros vão receber 15% do “reposicionamento remuneratório” — no próximo ano, recuperam-se mais 42% e em 2021 mais 43%. Na prática, o acordo irá fazer com que cerca de 1.500 enfermeiros progridam pelo menos um escalão (em alguns casos, dois), passando a ganhar até mais 200 euros por mês.

O acordo, neste e noutros pontos, satisfez as reivindicações do sindicato madeirense do setor, o SERAM — que, agora, reconhece que se cria uma discrepância face ao que acontece no continente, uma “desigualdade e a injustiça”. Já o secretário regional para a saúde, Pedro Ramos, diz ao Público que a intenção foi “englobar todos os enfermeiros para, de alguma forma, repararmos o que tem sido uma injustiça para este grupo de profissionais, fundamental para o Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira”.

O Governo Regional da Madeira já tinha, também, chegado a acordo com os sindicatos dos professores para ir ao encontro das suas reivindicações. Foi em outubro que o Conselho do Governo Regional aprovou a recuperação total do tempo em que as carreiras dos professores estiveram congeladas, uma devolução também faseada mas que já começou em janeiro de 2019.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: ecaetano@observador.pt
Saúde

Inovação em Saúde: oito tendências e um caminho

Luís Lopes Pereira

Em Portugal já existem terapêuticas alvo de contratos baseados no valor. Mas a difícil e demorada contratação pública e a dependência do Ministério das Finanças têm limitado a autonomia para inovar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)