As candidaturas para o Prémio José Saramago de 2019 estão abertas. Podem concorrer autores até 35 anos com obras literárias de ficção, romance ou novela publicadas em português, e num país lusófono, em 2017 ou 2018. O prémio de 25 mil euros será entregue ao vencedor numa cerimónia pública em outubro de 2019.

É o júri do Prémio — Guilhermina Gomes, Ana Paula Tavares, António Mega Ferreira, Nelida Piñon e Pilar del Rio (mulher de José Saramago) — que seleciona o vencedor do galardão.

O Prémio Literário José Saramago foi criado pela Fundação Círculo de Leitores para celebrar a atribuição do Prémio Nobel de Literatura de 1998 a José Saramago. Já conquistaram o prémio bienal autores como José Luís Peixoto, Gonçalo M. Tavares, Valter Hugo Mãe, João Tordo, Bruno Vieira Amaral e Julián Fuks.

A Fundação Círculo de Leitores, em comunicado, explica que procura utilizar o Prémio para “promover a divulgação da cultura e do património literário em língua portuguesa, através do estímulo, à criação e dedicação à escrita por jovens autores da lusofonia”.

José Saramago morreu em 2010. Em vida publicou obras como Memorial do Convento (1982), O Ano da Morte de Ricardo Reis (1984), O Evangelho Segundo Jesus Cristo (1991), Ensaio sobre a Cegueira (1995), O Homem Duplicado (2002) ou As Intermitências da Morte” (2005). Conquistou, além do Prémio Nobel em 1998, distinções como o Prémio Camões (1995) e o Prémio América (2004).