O Conselho Europeu agendou para junho “um debate aprofundado sobre as metas do clima” na União Europeia (UE), de modo a responder a um apelo crescente da sociedade europeia, revelou esta sexta-feira o primeiro-ministro, António Costa.

No final do Conselho Europeu celebrado entre quinta e sexta-feira em Bruxelas, António Costa informou que, em resposta a “um apelo crescente da sociedade europeia, e em particular das muito relevantes manifestações dos jovens europeus na passada semana”, ficou agendado para junho “um debate aprofundado sobre as metas do clima, designadamente se UE no seu conjunto está em condições de acompanhar aqueles países que já se propuseram cumprir metas mais ambiciosas do que as do Acordo de Paris, como é o caso de Portugal”.

O primeiro-ministro recordou que Portugal é um dos países que fixou “o objetivo da neutralidade carbónica até 2050” e justificou a premência do debate aprofundado pela proximidade da conferência de alto nível sobre as alterações climáticas que será organizada pelas Nações Unidos em setembro. “Aí, gostaríamos todos de ter uma posição comum e, desejo eu, focados neste objetivo mais ambicioso”, pontuou.

Os líderes europeus reiteraram, nas conclusões adotadas na cimeira europeia, o seu compromisso com o Acordo de Paris e reconheceram a necessidade de incrementar os esforços globais para combater as alterações climáticas, enfatizando a importância de a UE apresentar uma “estratégia ambiciosa a longo prazo” até 2020.

Na sexta-feira, centenas de milhares de jovens de 123 países protestaram em defesa do clima, juntando-se à iniciativa global #Fridaysforfuture e instando os políticos a empreenderem ações concretas para combater as alterações climáticas.