A UEFA anunciou esta sexta-feira que abriu um processo disciplinar contra Neymar, por “insultos” dirigidos ao árbitro do jogo Paris Saint-Germain-Manchester United (1-3), o que poderá redundar numa suspensão de vários jogos na Liga dos Campeões de futebol.

O jogador brasileiro, lesionado e a assistir na bancada do Parque dos Príncipes no dia 6 de março à eliminação do campeão francês, deu largas à sua cólera nas redes sociais, depois do penálti decisivo a favor dos ingleses, após recurso ao videoárbitro.

“Isso é uma vergonha! Ainda colocam quatro caras que não entendem de futebol para ficar olhando lance em câmera lenta. Isso não existe! Como o cara vai colocar a mão de costas? Ah vá pra pqp!”, escreveu na ocasião o avançado do clube parisiense e da seleção canarinha.

O passo da UEFA é o seguimento lógico do inquérito aberto a 13 de março, só que agora enquadrando os factos no artigo 15.d do seu código disciplinar, pelo que o jogador incorre numa pena de pelo menos três jogos por insultar um árbitro. Existe uma jurisprudência pouco clemente para esta matéria nas instâncias disciplinares, a partir de um outro jogador do PSG – em março de 2015, Serge Aurier foi o primeiro jogador castigado por palavras nas redes socais, neste caso o Facebook.