O Ministério Público português estará a investigar “várias transferências e contratos de direitos de imagem de jogadores de futebol”. A notícia é avançada pelo Correio da Manhã e confirmada ao jornal diário pela Procuradoria-Geral da República, que é citada dizendo: “Confirma-se a receção no DCIAP de várias comunicações da Autoridade Tributária (AT) relacionadas com a matéria que refere [transferências e contratos de direitos de imagem de jogadores]. As mesmas [comunicações] deram origem a inquéritos que se encontram em investigação”.

As autoridades judiciais não excluem a hipótese de ações de “fraude fiscal e branqueamento de capitais” em negócios de futebol, segundo o CM. Os inquéritos foram abertos pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) na sequência de “comunicações recebidas do Fisco”.

Haverá suspeitas da Autoridade Tributários envolvendo “comissões e prémios de assinatura pagos a intermediários, ou agentes, dos futebolistas”, refere ainda o jornal. Um relatório do Fisco sobre o combate à fraude e evasão fiscal, datado de 2017, é citado pelo CM mencionando “suspeitas de negócios simulados, com interposição de sociedades, com vista a camuflar rendimentos sujeitos a IRS”.