A população afetada pelo ciclone Idai em Moçambique subiu para 794 mil, anunciaram esta segunda-feira as autoridades, que contabilizam 447 mortos.

Em relação a domingo, o resumo de informação distribuída pelo Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC) acrescenta uma vítima mortal aos dados divulgados e aumenta em 50% o número de pessoas atingidas.

Esta população afetada não significa que esteja “em risco de vida”.

São pessoas que perderam as casas” ou que estão “em zonas isoladas e que precisam de assistência“, explicou no domingo o ministro da Terra e Ambiente, Celso Correia.

Por seu lado, o número de salvamentos faz com que os centros de acolhimento continuem a encher e registem já 128.941 entradas (mais 18% do que no domingo), das quais 6.500 dizem respeito a pessoas vulneráveis — por exemplo, idosos e grávidas que recebem assistência particular.