Rádio Observador

Lojas

Históricas Galerias Lafayette abrem portas nos Campos Elísios

117

O número 60 da famosa avenida parisiense acolhe a partir de 28 de março a nova vida das Galerias Lafayette, para uma experiência de compra única. Quase 100 anos depois, cumpre-se o sonho do fundador.

Uma das imagens do interior do novo endereço, no número 60 da célebre avenida parisiense

Novo conceito, novos códigos. É assim que o espaço indissociável da paisagem comercial e social da cidade de Paris anuncia nas suas redes a abertura de uma novíssima loja. O cenário será o Champs-Élysées, uma morada tão mitificada quanto os armazéns, um dos ex-libris do boulevard Haussmann, aberto ao público desde 1912.

Não deixa de ser irónico que a grande abertura ao público, agendada para quinta-feira, 28 de março (a inauguração oficial decorreu esta manhã), aconteça num tempo e numa zona que têm sido alvo preferencial das investidas dos Coletes Amarelos e respetivos protestos. Aparentemente, nada que abale o destino deste templo do consumo, que ocupa 6500 metros quadrados num edifício de art déco, repletos de roupa, acessórios, e ainda de um café e um restaurante imaginado pelo designer Simon Porte Jacquemus.

A decisão ganha tanto mais força se recuarmos quase um século e recuperarmos o desejo do fundador. Corria o ano de 1927 quando Théophile Bader comprou o Hotel de Massa, situado na interseção dos Campos Elísios com a rua La Boétie. O plano de lançar um espaço de venda moderna era especialmente caro a Bader mas o sonho acabaria por ficar pelo caminho devido à crise de 1929. 92 anos mais tarde, a quarta e quinta gerações do clã acionista do grupo Galerias Lafayette concretiza por fim o plano inicial, numa artéria que é hoje uma das mais turísticas da capital.

“Este novo conceito de loja foi pensado para ser um laboratório de comércio”, define Nicolas Houzé, o diretor-comercial das Galerias Lafayette, citado pela Vogue francesa. Tratam-se de quatro pisos projetados pelo arquiteto dinamarquês Bjarke Ingels, autor deste híbrido que pretende ser um verdadeiro hino ao lifestyle. Quanto à experiência de compra, promete fazer as delícias dos fashionistas e trendsetters, que por aqui encontrarão uma seleção cuidada dos melhores criadores, dos nomes consagrados aos projetos emergentes. De Alighieri a Ralph Lauren, de Attico a Versace, de Aurélie Bidermann a Balenciaga, de Chanel a Charlotte Chesnais, sem esquecer a Comme des Garçons e o corner pensado de raiz por Rei Kawakubo. Se precisar de orientação extra, nada tema. Pelas luxuosas galerias encontrará qualquer coisa como 300 stylists formados pelas Lafayette.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mrsilva@observador.pt
Pais e Filhos

Um pai do século XXI

David Gaivoto
106

Ao longo da minha experiência enquanto pai tenho também aprendido que por vezes são eles que nos educam, por vezes são eles que nos apelam à nossa consciência com a sua gigante e preciosa inocência

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)