Novo conceito, novos códigos. É assim que o espaço indissociável da paisagem comercial e social da cidade de Paris anuncia nas suas redes a abertura de uma novíssima loja. O cenário será o Champs-Élysées, uma morada tão mitificada quanto os armazéns, um dos ex-libris do boulevard Haussmann, aberto ao público desde 1912.

Não deixa de ser irónico que a grande abertura ao público, agendada para quinta-feira, 28 de março (a inauguração oficial decorreu esta manhã), aconteça num tempo e numa zona que têm sido alvo preferencial das investidas dos Coletes Amarelos e respetivos protestos. Aparentemente, nada que abale o destino deste templo do consumo, que ocupa 6500 metros quadrados num edifício de art déco, repletos de roupa, acessórios, e ainda de um café e um restaurante imaginado pelo designer Simon Porte Jacquemus.

A decisão ganha tanto mais força se recuarmos quase um século e recuperarmos o desejo do fundador. Corria o ano de 1927 quando Théophile Bader comprou o Hotel de Massa, situado na interseção dos Campos Elísios com a rua La Boétie. O plano de lançar um espaço de venda moderna era especialmente caro a Bader mas o sonho acabaria por ficar pelo caminho devido à crise de 1929. 92 anos mais tarde, a quarta e quinta gerações do clã acionista do grupo Galerias Lafayette concretiza por fim o plano inicial, numa artéria que é hoje uma das mais turísticas da capital.

“Este novo conceito de loja foi pensado para ser um laboratório de comércio”, define Nicolas Houzé, o diretor-comercial das Galerias Lafayette, citado pela Vogue francesa. Tratam-se de quatro pisos projetados pelo arquiteto dinamarquês Bjarke Ingels, autor deste híbrido que pretende ser um verdadeiro hino ao lifestyle. Quanto à experiência de compra, promete fazer as delícias dos fashionistas e trendsetters, que por aqui encontrarão uma seleção cuidada dos melhores criadores, dos nomes consagrados aos projetos emergentes. De Alighieri a Ralph Lauren, de Attico a Versace, de Aurélie Bidermann a Balenciaga, de Chanel a Charlotte Chesnais, sem esquecer a Comme des Garçons e o corner pensado de raiz por Rei Kawakubo. Se precisar de orientação extra, nada tema. Pelas luxuosas galerias encontrará qualquer coisa como 300 stylists formados pelas Lafayette.