Vão ser leiloadas nesta quinta-feira várias cartas escritas por Albert Einstein, incluindo três escritas entre 1921 e 1939 e nas quais o cientista alemão fala sobre a forma como ia testemunhando a ascensão de Hitler ao poder e o Holocausto.

De acordo com a CNN, numa das cartas, datada de 1921, Einstein conta à sua irmã, Maja, que recusou uma viagem a Munique por temer pela sua vida. O físico refere, na missiva, a onda de antissemitismo que marcava a Alemanha naquela altura.

Numa outra carta, de 1934, Einstein escreveu à sua mulher para enviar dinheiro. Na carta, mais à frente, pode ler-se: “Tudo isto é resultado desta loucura de Hitler, que arruinou completamente as vidas de todos à minha volta”.

“O poder da resistência que permitiu ao povo judeu sobreviver milhares de anos baseou-se, em grande medida, nas tradições de entreajuda mútua”, escreveu Einstein numa carta de 1939, enviada a Maurice Lenz.

“Não temos outros meios de autodefesa além da nossa solidariedade e a nossa certeza de que a causa pela qual estamos a sofrer é uma causa importante e sagrada”, acrescentou na mesma carta.

As três cartas serão leiloadas na quinta-feira a preços que começam nos 12 mil dólares.

Einstein renunciou à cidadania alemã em 1933, quando Hitler assumiu a liderança do país, e mudou-se para os Estados Unidos, onde viria a morrer em 1955.

Em 1952, apenas quatro anos após a fundação oficial de Israel, o físico foi convidado para ser presidente do país, mas recusou o convite, argumentando que durante toda a vida tinha trabalhado com as coisas concretas da física, não tendo capacidade para gerir pessoas.

Em dezembro do ano passado, um outro documento escrito por Einstein, a “Carta a Deus”, foi leiloada por 2,6 milhões de euros em Nova Iorque.