Rádio Observador

Lifestyle

Cardi B admitiu roubar e drogar homens antes de ser famosa

136

A cantora já fez um post no Instagram a pedir desculpa e a dizer que só o tinha cometido os crimes "para sobreviver". À época era stripper. Cardi B tem um passado ligado ao famoso gangue Bloods.

Getty Images for iHeartMedia

Cardi B admitiu roubar e drogar homens antes de se tornar uma cantora famosa. O vídeo onde a confessava os crimes foi gravado há três anos e publicado no Instagram. Mas foi este fim-de-semana que se tornou viral quando foi divulgado no Twitter, na conta @HipHopRatche, noticia a Vox. À época dos crimes, a cantora era stripper.

Depois de o vídeo se tornar viral, Cardi B admitiu os crimes e pediu desculpa. “Eu fiz as escolhas que fiz na época porque tinha opções muito limitadas”, escreveu num post no Instagram na terça-feira. “Eu tenho um passado que não posso mudar. Todos nós temos”. No post no Instagram, a cantora realçou que conhecia pessoalmente os homens que drogou e roubou. “Eram homens com quem namorei e me envolvi, homens conscientes”, escreveu. Cardi B tenta defender-se acrescentando ainda que só roubou porque sentiu que tinha de o fazer para sobreviver.

Mas nem todos os fãs deixaram passar em branco o passado de Cardi B. Alguns usaram até a hashtag #SurvivingCardiB, comparando a cantora a Bill Cosby. O ator e comediante norte-americano que foi condenado por drogar e violar 60 mulheres. Um fã de Bill Cosby escreveu um tweet onde dizia que não desejava a ruína de pessoas famosas, mas que a cantora tinha cometido o mesmo tipo de erros que tinham arruinado o legado de um dos seus ídolos.

Quando o primeiro hit de Cardi B, Bodak Yellow, começou a ouvir-se cada vez mais, os fãs começaram a criar teorias em torno da letra da música. A cantora poderia pertencer ao gangue Blood (Sangue), já que usava expressão “bloody shoes” (sapatos sangrentos) na música. E era mesmo verdade: a cantora confirmou à revista GQ em 2018 que “quando tinha 16 anos, costumava sair com muitos Bloods”. A cantora afastou-se do gangue aos 19 anos, quando começou a trabalhar como stripper, visto que estava totalmente focada em arranjar dinheiro. Cardi B diz que não quer encorajar os jovens a juntarem-se a gangues, mas também não se quer esquecer de onde veio.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)