A “fábrica de startups” portuguesa Bright Pixel passou a integrar o consórcio europeu de apoio a startups de dados, o Data Market Services Program, anunciou a empresa esta segunda-feira em comunicado. O consórcio é liderado pela consultora espanhola Zabala e tem por objetivo apoiar startups e PME (pequenas e médias empresas) de dados no seu desenvolvimento e expansão. A Brigh Pixel é a única entidade portuguesa a fazer parte do consórcio.

“Esta presença da Bright Pixel num consórcio europeu é mais um passo na nossa estratégia de internacionalização, que vem complementar os investimentos e parcerias que também já temos realizado além-fronteiras”, explica o presidente e fundador Celso Martinho, em comunicado.

O Data Market Services Program vai decorrer durante três anos e visa apoiar cerca de 150 projetos. A Bright Pixel junta-se a oito empresas europeias para oferecer aos projetos selecionados 12 serviços de apoio à criação e crescimento do negócio, como apoio no levantamento de fundos, identificação e encontro com potenciais investidores, programas de aceleração e incubação, mentoria e formação em propriedade intelectual, questões legais, como o Regulamento Geral de Proteção de Dados, entre outros.

As candidaturas para o primeiro programa de três anos já estão abertas e terminam a 27 de maio. Há vagas para apoiar 50 projetos. A fábrica de startups portuguesa vai ajudar as equipas a relacionarem-se com atuais e potenciais investidores, a criarem um plano de negócios e em questões relacionadas com o crescimento da empresa. Aos rpojetos que queiram explorar o mercado português, a Bright Pixel disponibiliza espaço nos escritórios de Lisboa ou do Porto,

“O nosso objetivo é identificar e apoiar os projetos mais promissores nas verticais de cibersegurança, retalho, telecomunicações e tecnologias emergentes, onde sem dúvida que se inserem startups data-driven. Ao integrarmos este grupo de trabalho e oferecermos o nosso know-how na construção de um negócio, ajudamos estes empreendedores, ao mesmo tempo que nos aproximamos de projetos que poderão ser promissores para posteriores investimentos”, acrescenta Celso Martinho.

A Bright Pixel foi fundada em abril de 2016 com o intuito de investir em projetos de cariz tecnológico. É uma venture builder studio e tem três áreas que trabalham de forma interligada: a Bright Labs, a Bright Incubation e a Bright Ventures, que se dedica ao investimento em startups.