A equipa de investigação contratada por Jeff Bezos para descobrir como chegaram as fotografias íntimas da sua relação extraconjugal com a pivot Laura Sanchez à National Enquirer concluiu que a Arábia Saudita teve acesso ao telemóvel do dono da Amazon antes dos textos e fotografias  terem sido roubados do telemóvel. O homem mais rico do mundo viu-se envolvido num escândalo quando em janeiro a National Enquirer publicou uma história sobre uma relação extraconjugal de Bezos e, num primeiro momento, a responsabilidade foi atribuída ao cunhado.

Nessa publicação, o tabloide diz ter tido acesso a mensagens e fotografias íntimas em que Bezos expressava o seu amor pela pivot de 49 anos, poucos dias depois do fim do casamento de 25 anos com MacKenzie Tuttle, que se tornou um dos divórcios mais caros de sempre.

“Os nossos investigadores e vários especialistas concluíram com grande certeza que os sauditas tinham acesso ao telefone de Bezos e obtiveram informações confidenciais”, escreveu Gavin de Becker, especialista em segurança, num artigo de opinião para o Daily Beast, citado pela CNN.

Sem se alongar em detalhes nem apresentar provas do envolvimento de Riade, Jeff Bezos disse apenas que as informações que foram descobertas “foram entregues às autoridades federais” e que não dará mais detalhes públicos sobre a investigação. Gavin de Becker disse ainda que não está claro se a proprietária da National Enquirer, a America Media Inc. (AMI), sabia deste envolvimento saudita.

Bezos — que se queixou previamente de chantagem por parte da National Enquirer — sugere que a AMI tentou extorqui-lo para agradar ao governo saudita — que terá ligações com a AMI. O governo saudita por sua vez, está aborrecido com a cobertura jornalística que o Whashington Post — que é detido por Bezos — terá feito do assassinato de  Jamal Khashoggi (na embaixada da Arábia Saudita em Istambul)  ou a cobertura que faz do presidente Donald Trump.