Israel

Jornal israelita acusa Likud de manipulação através de redes sociais

Segundo o jornal, foi criada uma rede de contas no Twitter para "promover os temas defendidos por Netanyahu e do partido Likud" e difundir "propaganda", "mentiras" e "calúnias" contra a imprensa.

De acordo com o jornal, as centenas de contas de Twitter são "geridas por pessoas que não revelam a identidade" e que usam imagens de perfil retiradas de "bases de dados estrangeiras"

ABIR SULTAN/EPA

Uma investigação israelita revela a existência de uma rede de contas no Twitter, alegadamente falsas, usadas para defender o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e difamar os candidatos da oposição às eleições da próxima semana.

De acordo com o jornal israelita Yediot Aharonot, as contas criadas naquela rede social nos últimos anos estão coordenadas entre si, tendo multiplicado a atividade para “promover os temas defendidos por Netanyahu e do partido Likud” e difundir “propaganda”, “mentiras” e “calúnias” contra alguns meios de comunicação social e candidatos às eleições legislativas de 9 de abril.

De acordo com o jornal, as centenas de contas de Twitter são “geridas por pessoas que não revelam a identidade” e que usam imagens de perfil retiradas de “bases de dados estrangeiras” ou de plataformas de design gráfico.

A rede foi descoberta pelo Projeto Bit Bots, um grupo de investigação que estuda as más práticas das redes sociais e que é financiado através de subscrição pública. Várias das contas de Twitter em causa estão supostamente associadas a altos cargos do partido Likud e ao filho mais novo do primeiro-ministro, Yair.

Uma das contas mais ativas tem o nome Moshe e usa uma imagem de perfil que mostra um jovem de olhos azuis, barba e bigode e que na realidade é uma fotografia do modelo grego Theo Theodoridis. Este perfil, que publica textos relacionados com temas políticos, foi criado em março de 2015 e, embora em 2018 tenha publicado muito pouco, aumentou a atividade nos primeiros meses de 2019, logo após o anúncio sobre a marcação das eleições israelitas.

Desde essa altura a conta difundiu mais de 2.500 mensagens, destacando-se os elogios a Netanyahu e as críticas aos membros da oposição, indica o Yediot Aharonot.

“A esquerda vai converter-se ao Islão, é só uma questão de tempo”, escreveu recentemente o autor da conta com o nome Moshe. Outras contas ligadas ao mesmo utilizador acusaram o candidato centrista Beni Gantz, principal rival de Benjamin Netanyahu, de ser “um violador com problemas mentais”.

De acordo com o Projeto Big Bots, a atividade da rede pode estar a violar a legislação eleitoral e de financiamento de campanhas, assim como as leis fiscais e de privacidade.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Europeias

Querida Europa...

Inês Pina

Sabemos que nos pedes para votarmos de cinco em cinco anos, nem é muito, mas olha é uma maçada! É sempre no dia em que o primo casa, a viagem está marcada, em que há almoço de família…

Educação

Aprendizagem combinada: o futuro do ensino

Patrick Götz

Só integrando a tecnologia na escola se pode dar resposta às necessidades do futuro, no qual os futuros trabalhadores, mesmo que não trabalhando na indústria tecnológica, terão de possuir conhecimento

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)