A Feira do Livro Infantil de Bolonha, ponto de encontro anual e internacional da literatura e ilustração para os mais novos, começa esta segunda-feira em Itália e terá a presença de autores, editores e ilustradores portugueses.

Há mais de uma década presente na feira, a Direção-Geral do Livro, Arquivos e Bibliotecas (DGLAB) revelou que voltará a ter um espaço próprio e divulgação do livro para a infância e juventude, e dará destaque ao livro “Não é nada difícil”, que valeu a Madalena Matoso o Prémio Nacional de Ilustração.

No espaço da DGLAB estarão ainda expostos cerca de 80 livros portugueses para os mais novos publicados ao longo do último ano, e haverá espaço para divulgar os atuais incentivos do organismo à internacionalização.

No âmbito do programa anual de apoio à ilustração e BD, a DGLAB dá conta que desde 2005 foram editados mais de 300 obras em 31 países diferentes.

A Feira do Livro Infantil de Bolonha cumprirá a 56.ª edição, de segunda a quinta-feira, com um extenso programa de conferências, debates, apresentações de livros, reuniões negociais de direitos e exposições de ilustração.

A exposição anual da feira contará este ano com obras dos ilustradores portugueses André Letria e Carolina Celas, entre os 76 selecionados.

Todos os anos, a feira atribui ainda prémios de excelência à produção literária, tendo já sido anunciado que “Atlas das viagens e dos exploradores”, de Isabel Minhós Martins e Bernardo P. Carvalho, venceu o prémio de melhor livro de não-ficção.

A editora portuguesa Orfeu Negro está nomeada para o prémio de melhor editora europeia.

No âmbito da feira, na terça-feira é anunciado o vencedor do prémio literário sueco Astrid Lindgren Memorial Award, para o qual estão nomeados os autores Bernardo P. Carvalho, Catarina Sobral, Luísa Ducla Soares, Maria Teresa Maia Gonzalez e a estrutura Andante Associação Artística.

Segundo a DGLAB, na feira do livro estarão presentes as editoras Planeta Tangerina, Pato Lógico, Orfeu Negro, Edicare, Livros Horizonte e Livraria Lello.