O construtor sueco anunciou há cerca de um ano que o objectivo para o futuro passava por uma ofensiva de veículos eléctricos (EV), dado que pretendia atingir 50% das vendas até meados da próxima década com modelos eléctricos alimentados por bateria. Uma meta ousada, mas que se tornará mais fácil de atingir se a Volvo recorrer às soluções que a Polestar, outra marca do grupo, está já a desenvolver e que muito em breve vão chegar ao mercado.

Em declarações ao Automotive News Europe, representantes da Volvo anunciaram que está tudo bem encaminhado para que seja revelada, ainda antes do fim de 2019, uma versão eléctrica a bateria do XC40, o SUV compacto da marca, para que possa estar à venda logo no início de 2020. Não foram avançados dados sobre a versão EV do XC40, mas não será difícil lá chegar, uma vez que a Volvo partilha a plataforma Compact Modular Arquitecture (CMA) com a Polestar e esta marca já apresentou em Genebra o 2, assumido como concorrente do Tesla Model 3. Como se isto não bastasse, a mesma CMA é igualmente utilizada pela Link & Co, outra marca dos chineses da Geely, donos da Volvo e maiores accionistas da Daimler, que também disponibiliza veículos EV.

Entretanto, se o Volvo XC40 EV deverá ser revelado em Dezembro, para iniciar a comercialização no início de 2020 (a Volvo necessita das suas vendas para reduzir as sua emissões médias de CO2 até 2021), a marca sueca vai iniciar um mês antes, em Novembro, a fabricação da versão híbrida plug-in (PHEV) do mesmo XC40. O XC40 T5 Twin Engine, assim se vai denominar o modelo, arrancará a produção durante a 46ª semana do ano, ou seja, em meados de Novembro, na fábrica belga de Ghent.

O XC40 T5 Twin Engine recorre a um motor 1.5 com três cilindros a gasolina, que fornece 180 cv, associando-o a um motor eléctrico de 82 cv, para que no total o SUV disponha de uma potência total de 262 cv, com uns impressionantes 425 Nm de força. A unidade eléctrica é alimentada por uma pequena bateria de 9,7 kWh.

Com uma caixa automática de sete velocidades, o XC40 T5 é capaz de chegar aos 100 km/h em 7,3 segundos, para depois atingir 205 km/h. Contudo, o seu estatuto de PHEV permite-lhe percorrer 54 km em modo exclusivamente eléctrico, o que é bom para as deslocações dentro da cidade.