Barbara Bush pensou em suicidar-se depois de ter descoberto os rumores de que o marido, o antigo presidente dos Estados Unidos da América George H.W. Bush, tinha um caso com a assistente, Jennifer Fitzgerald, foi revelado numa nova biografia escrita pela jornalista do US Today, Susan Page.

George H.W. Bush manteve alegadamente um relacionamento de 12 anos com Jennifer Fitzgerald, que trabalhou como sua assistente pessoal durante mais de uma década. Os rumores do seu envolvimento, que o ex-presidente sempre negou, foram a causa de uma profunda depressão que Barbara Bush sofreu nos anos 70. Foi também nesse período que a antiga primeira-dama começou a ter pensamentos suicidas. “Sentia-me muito mal”, admitiu, citada por Susan Page em The Matriarch.

Numa das cinco entrevistas que concedeu à jornalista do US Today para a sua biografia, Barbara Bush relatou que, certo dia, viu-se obrigar a encostar o carro à beira da estrada porque temia que se tentasse matar, conduzindo contra outro veículo.

A autora de The Matriarch, que chega esta terça-feira às livrarias norte-americanas, teve acesso aos diários da ex-primeira-dama, que lhe foram cedidos pela própria antes da sua morte, em abril de 2018. Neles existem várias referências a Trump, escritas muito antes de este ser eleito para o cargo que o marido de Barbara Bush ocupou nos anos 80. As primeiras datam da década de 1990, quando o empresário se estava a divorciar da primeira mulher, Ivana. “Trump significa ganância, egoísmo e repulsa”, escreveu Barbara, que se recusou a votar em Trump nas eleições de 2016 e que abandonou o partido Republicano meses antes da sua morte.

Em 2018, a opinião da mulher do 41º presidente dos Estados Unidos não era melhor. Numa das  entrevistas que deu a Susan Page, Barbara Bush admitiu que preferia não pensar no seu país na “era Trump”, mas lembrou que os Estados Unidos são uma nação “forte”. Questionada pela jornalista de política sobre se se considerava ainda republicana, respondeu que “provavelmente não”.

Estas são apenas algumas das revelações feitas em The Martriarch, que relata o “horror” de Barbara ao descobrir que Donald Trump tinha ganho as eleições presidenciais.

Barbara e George H.W. Bush casaram a 6 de janeiro de 1945. Tiveram seis filhos, incluindo o também ex-presidente George W. Bush. A antiga primeira-dama, que era um ano mais nova do que o marido, morreu em abril do ano passado com várias complicações de saúde ligadas à doença pulmonar obstrutiva crónica de que sofria há vários anos. Bush morreu meses depois, em novembro de 2018.