O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, foi esta terça-feira suspenso por oito dias pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, mas o castigo não o impediu de estar no banco na visita ao Sporting de Braga.

Em causa está a resposta a uma provocação de um adepto, facto tido em conta na moldura penal, com a atitude posterior do treinador portista a configurar uma “lesão da honra e reputação” de um adepto, em altercação verificada no sábado, no duelo entre as duas equipas, igualmente em Braga, e que os campeões nacionais venceriam por 3-2.

Sérgio Conceição vai estar fora do banco sexta-feira na receção ao Boavista, tal como o central Felipe, suspenso por um jogo, em desafio da 28.ª jornada da Liga.

O tempo de suspensão só é contabilizado a partir do dia seguinte à notificação, que se verificou esta terça-feira, pelo Sérgio Conceição pôde sentar-se no banco no jogo da segunda mão da Taça de Portugal disputado esta terça-feira em Braga, onde o FC Porto defende uma vantagem de 3-0.

O defesa Ristovski, do Sporting, foi suspenso por uma partida e deve falhar quarta-feira o encontro com o Benfica, da segunda mão das meias-finais da Taça de Portugal, em Alvalade, depois do 2-1 a favor dos ‘encarnados’ no encontro da Luz.

O Sporting já anunciou ter feito e enviado o recurso, pedindo efeito suspensivo do mesmo que permita ao macedónio defrontar o Benfica.

O Estádio D. Afonso Henriques, do Vitória de Guimarães, também foi alvo de um castigo de um jogo, embora os minhotos também já tenham manifestado a intenção de recorrer, neste caso para o Tribunal Arbitral do Desporto, apostando com esta atitude no efeito suspensivo da punição até haver uma sentença.

Em causa um processo instaurado ao Vitória na sequência do jogo com o Sporting de Braga, da oitava jornada (1-1), em que foi encontrado, pela PSP, material pirotécnico numa sala do estádio.