Não deve ser aprovada pelo parlamento a proposta do Governo que permitia o transporte de até 150 mil euros em dinheiro e metais preciosos sem segurança privada, escolta policial, nem o uso de carrinhas blindadadas. O Partido Social Democrata, o Bloco de Esquerda e até o próprio Partido Socialista propuseram, no debate na especialidade, valores muito mais baixos do que os do Governo, indica a TSF.

O limite legal é de 15 mil euros. É precisamente esse valor que BE e PSD querem que se mantenha. Já o PS está disposto a aceitar um aumento do valor, mas só até aos 25 mil euros, nem um quinto da proposta do Executivo.

Também à TSF, o presidente da Associação de Empresas de Segurança, Rogério Alves, explicou que um limite de 150 mil euros seria “um convite ao descontrolo […] potenciador de muitos riscos”, particularmente nos crimes de branqueamento de capitais. Seria possível o uso das chamadas “malas de dinheiro”, que tanto podem ser malas reais como sacos de plástico ou carros privados, sem qualquer supervisão, a transportar grandes quantias de dinheiro em notas. As propostas partidárias são “um enorme avanço”, disse o responsável.