Rádio Observador

Ministério da Agricultura

Seca. Governo vai identificar necessidades de investimento dos agricultores

O Governo vai disponibilizar um formulário aos agricultores para analisar as necessidades de investimento em equipamentos para dar de beber ao gado, tendo em conta as condições climatéricas e a seca.

Os agricultores têm até 15 de maio para preencher este documento e deverão também indicar os meios de que já dispõem

FRANCISCO PINTO/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O Governo vai iniciar o levantamento das necessidades de investimento dos agricultores em equipamentos de captação, transporte e armazenamento de água, “tendo em conta as condições climatéricas verificadas em Portugal Continental”, foi esta quinta-feira anunciado.

Em comunicado, o Ministério da Agricultura indicou que este levantamento, através das direções regionais de Agricultura e Pescas, tem também como objetivo averiguar as necessidades de investimento em equipamentos para abeberamento de gado.

Tendo em conta as atuais condições climatéricas verificadas em Portugal continental, e a provável evolução para uma situação de seca agrometeorológica e hidrológica, o Ministério da Agricultura disponibilizou, através das direções regionais de Agricultura e Pescas, um formulário de identificação de necessidades, a preencher pelos agricultores”, lê-se no documento.

De acordo com o ministério liderado por Capoulas Santos, os agricultores têm até 15 de maio para preencher este documento e deverão também indicar os meios de que já dispõem.

Esta medida insere-se no âmbito da atividade da Comissão Permanente de Prevenção, Monitorização e Acompanhamento dos Efeitos da Seca, que acompanha “o impacto da situação da seca no terreno, em cada momento”.

Neste sentido, as direções regionais têm entre os dias 15 e 30 de cada mês de disponibilizar informação sobre a evolução da situação de seca nas respetivas regiões.

A informação em causa deverá “caracterizar a atual situação e a evolução dos recursos hídricos privados, das pastagens e forragens, culturas permanentes e temporárias”, explica o Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Filosofia Política

A doença mental chamada Amazónia

Gabriel Mithá Ribeiro

Resta decretar o estado de emergência climática que, na prática, se traduz no combate ao capitalismo em nome do socialismo, mas na condição daquele disponibilizar muitos mil milhões de dólares a este.

PAN

Totalitarismozinho dos anos 40 /premium

José Diogo Quintela

Este discurso da emergência climática dá muito jeito em termos políticos. Em primeiro lugar, tudo o que acontece de mal deve-se ao clima. Logo, a culpa nunca é do Governo, é de toda a humanidade.

Trabalho

Ficção coletiva, diz Nadim /premium

Laurinda Alves

Começar reuniões a horas e aprender a dizer mais coisas em menos minutos é uma estratégia que permite inverter a tendência atual para ficarmos mais tempo do que é preciso no local de trabalho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)