União Europeia

Europeias: oposição na Polónia adverte para risco de um “Polexit”

121

A coligação de partidos da oposição na Polónia advertiu para o risco de uma saída da Polónia da União Europeia provocada pelo partido conservador e eurocético no poder, o Lei e Justiça (PiS).

Bartlomiej Zborowski/EPA

Autor
  • Agência Lusa

A coligação de partidos da oposição na Polónia advertiu este sábado para o risco de uma saída da Polónia da União Europeia provocada pelo partido conservador e eurocético no poder, o Lei e Justiça (PiS).

A escolha dos polacos nas eleições europeias de maio vai ser entre “uma Polónia forte, próspera e democrática numa Europa forte” e “o que têm hoje — um Estado dominado por um partido em vias de sair da União Europeia”, sustentou Grzegorz Schetyna, líder da Plataforma Cívica (PO), a mais importante das cinco formações que constituem a Coligação Europeia (KE).

Ou uma Polónia que seja um dos líderes do Ocidente, ou uma Polónia que deriva para o Leste”, prosseguiu, num congresso organizado em Varsóvia para lançar a campanha para as europeias de 26 de maio.

O Governo do PiS tem suscitado críticas da UE em relação a uma série de reformas do aparelho judicial consideradas por Bruxelas como uma ameaça à independência da Justiça, do Estado de Direito e da democracia.

O PiS aceitou voltar atrás em algumas medidas, mas a oposição afirma que os sucessivos “braços de ferro” do governo com a UE possam conduzir a um “Polexit”.

O partido no poder nunca defendeu uma saída da UE, mas o seu líder, Jaroslaw Kaczynski, é uma das principais figuras populistas europeias que defende a soberania dos Estados contra a ideia de federalismo.

A população polaca é maioritariamente favorável à presença do país na UE. Num Eurobarómetro divulgado em outubro, 70% dos polacos consideravam que pertencer à UE é positivo para o país, um valor acima da média europeia, que registava naquele estudo 62%.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
União Europeia

As eleições deviam ser uma maçada

Henrique Burnay

China, Estados Unidos, Rússia, energia, clima, banca, defesa, plataformas digitais e empregos do futuro. Pela discussão que aí vai não se nota, mas as europeias são sobre tudo isto e muito mais.

Eleições Europeias

O Roteiro dos Quatro Presidentes

António Covas

É esta acumulação de riscos, esta “desesperança no futuro”, onde o elevador social parece não funcionar, que estão a minar, a pouco e pouco, a confiança nas instituições e a criar o azedume político.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)