A democratização das bicicletas em meio urbano leva a que quantos mais ciclistas recorrem a este meio de transporte, mais acidentes graves ocorram, com a agravante de os danos não serem minimizados porque muitos utilizadores não usam capacete.

Consciente desta realidade, o ministro alemão dos Transportes e Infra-estruturas Digitais (BMVI) decidiu pôr no ar uma campanha invulgar. Recorrendo a homens e mulheres jovens, vestindo apenas roupa interior, a campanha tem como frase-chave “looks like shit, but saves my life”. O que se pode traduzir como “parece uma grande m**da, mas pode salvar-me a vida”.

Segundo o ministro alemão dos Transportes, Andreas Scheuer, a campanha é destinada a jovens entre 17 e 30 anos, em que cerca de 40% não usa capacete. E não o faz porque não é cool ou prático, ou apenas porque nunca comprou nenhum. Os posters da campanha surgiram expostos em Berlim, Hamburgo, Colónia e Munique, com o #HelmerettenLeben, ou seja, #capacete salva vidas.

Se a comunicação da campanha parece transparente e a mensagem evidente, Katja Mast, do Partido Social Democrata sentiu-se melindrada pelo facto de o “dinheiro dos contribuintes ser utilizado para expor homens e mulheres meio nus em placards”. Sem se tornar evidente se o que a deputada do SPD desejava era despir mais os modelos ou vesti-los, a verdade é que a DW News questionou diversas pessoas na rua, que se revelaram pouco impressionadas com a forma de comunicação.