O Benfica goleou o Feirense este domingo por 1-4, ainda que tenha começado a perder logo aos 10 minutos. A vitória encarnada, conquistada graças aos golos de Pizzi e André Almeida e ao bis de Seferovic, garantiu o regresso da equipa de Bruno Lage à liderança da Primeira Liga e afundou ainda mais o conjunto orientado por Filipe Martins, que dificilmente evitará a despromoção ao segundo escalão.

O jogo teve alguma intervenção do VAR — num segundo golo anulado ao Feirense e no penálti convertido por Pizzi — e, no entender dos responsáveis da equipa de Santa Maria da Feira, a atuação da equipa de arbitragem não foi bem sucedida. Numa publicação efetuada nas redes sociais, o Feirense criticou a arbitragem do encontro com o Benfica e destacou três lances que considera “envergonharem” o futebol português.

View this post on Instagram

Onde está a verdade desportiva? . Hoje assistimos a mais um jogo que envergonha o futebol português. Os clubes pedem isenção, rigor, respeito e verdade desportiva, mas depois há decisões [ver vídeo] que adulteram os jogos e mancham este campeonato. . O CD Feirense, com todo o mérito, chegou à vantagem no marcador, ao minuto 10', mas depois foi o que se viu… . 21': 2×0 anulado a Vítor Bruno 39`: Grande penalidade a favor do SL Benfica, com recurso ao VAR 47': Grande penalidade por assinalar a favor do CD Feirense. O VAR desta vez foi esquecido. . Só a título de curiosidade, para os mais distraídos, Bruno Paixão foi VAR em três dos últimos cinco jogos do CD Feirense (SL Benfica, Vitória FC e Belenenses SAD). Na jornada passada, o nosso central Flávio Ramos foi expulso pelo VAR e falhou o jogo de hoje. . #VerdadeDesportiva #CasteloAoPeito #ForçaBillas

A post shared by CD Feirense – Futebol, SAD (@cdfeirense) on

“Onde está a verdade desportiva? Hoje assistimos a mais um jogo que envergonha o futebol português. Os clubes pedem isenção, rigor, respeito e verdade desportiva, mas depois há decisões [ver vídeo] que adulteram os jogos e mancham este campeonato. O CD Feirense, com todo o mérito, chegou à vantagem no marcador, ao minuto 10′, mas depois foi o que se viu…21′: 2×0 anulado a Vítor Bruno. 39′: Grande penalidade a favor do SL Benfica, com recurso ao VAR. 47′: Grande penalidade por assinalar a favor do CD Feirense. O VAR desta vez foi esquecido”, pode ler-se no comunicado do Feirense, que é acompanhado por um vídeo que isola os lances destacados pelos fogaceiros.

O Feirense sublinha ainda, “a título de curiosidade”, que “Bruno Paixão foi VAR em três dos últimos cinco jogos do CD Feirense”, contra Benfica, V. Setúbal e Belenenses SAD, e que na jornada passada, precisamente contra os sadinos, o central Flávio Ramos “foi expulso pelo VAR e falhou o jogo” deste domingo.

Também Sandro Medeiros, treinador adjunto de Filipe Martins que compareceu na conferência de imprensa após o final da partida, já tinha sublinhado aquilo que considerou terem sido “algumas vicissitudes do jogo”. “Caímos animicamente. Os lances que vocês devem ter comentado na televisão, não vale a pena falar aqui. Vamos focar-nos no que podemos controlar. Quem viu este jogo sentiu a injustiça de poder sair para o intervalo a ganhar e saímos a perder. Temos a nossa visão, vocês têm ferramentas para observar na televisão. Nós fazemos o nosso trabalho. Claro que protestámos porque sentimo-nos indignados com a decisão mas a decisão foi tomada e temos de depois concentrarmo-nos no resto, no que podemos controlar”, disse o técnico adjunto do Feirense.

Opinião corroborada por Ali Ghazal, jogador que cometeu a grande penalidade sobre Pizzi que originou o primeiro golo do Benfica. “Começámos o jogo muito bem. Marcámos e depois marcámos outro, mas foi anulado. Não sei porquê. Tal como não sei porque foi o penálti. Para mim a 100% que não é penálti. Vão ver. O árbitro assinalou e foi golo (…) Isto faz a equipa ir a baixo. Continuámos a trabalhar, para tentar fazer outro golo, mas o Benfica é uma equipa grande e com estas coisas torna as coisas mais difíceis ainda”, explicou o internacional egípcio.