Numa altura em que o digital ganha cada vez mais espaço no mundo dos cartões de débito e crédito — com aplicações para o telemóvel que permitem transferir dinheiro, fazer pagamentos ou consultar o saldo — a forma clássica de levantar dinheiro, no multibanco, não deixa de ser ainda uma prática muito utilizada pelos portugueses.

Um estudo da Mastercard feito em Portugal pela ISPOS/APEME revela que a maioria dos portugueses (93%) anda sempre com dinheiro na carteira. Além disso, em média, trazem consigo 22 euros. Os mais jovens andam em média com 16 euros na carteira, enquanto nos mais velhos a média é de 25 euros.

São algumas das conclusões do estudo “Quanto dinheiro trazem os portugueses na carteira”, realizado em fevereiro deste ano, através de 500 entrevistas num questionário online. Se olharmos a géneros, o inquérito revela também que os homens andam em média com mais seis euros na carteira (25,5€) do que as mulheres (19,6€).

Quanto a valores levantados no multibanco, a maioria dos portugueses (55%) costuma levantar até 20 euros; a média de levantamentos situa-se nos 30 euros. Também neste caso, os homens levantam em média mais do que as mulheres (mais 10 euros). Os mais velhos também costumam levantar mais dinheiro do que os mais novos.

O estudo da Mastercard abrange ainda os cartões bancários, concluindo que 7 em cada 10 portugueses tem apenas um cartão de débito. E, em média, mais de 53% tem um cartão de crédito. “Por grupos etários, 44% dos portugueses entre os 35-44 anos e 23% entre os 18 e os 24 têm um cartão de crédito”, refere a investigação.

No que toca à tecnologia, a maioria dos portugueses (55%) afirma, no entanto, ter um cartão com a tecnologia Contactless, sendo que são os homens que mais a utilizam. Dos inquiridos que confirmam ter um cartão Contactless, 66% dizem utilizá-lo frequentemente para pagamentos até 20 euros.

No comunicado enviado às redações dos órgãos de comunicação social, o diretor-geral da Manager Mastercard em Portugal, Paulo Raposo, refere que este estudo “serve para percebermos que os portugueses ainda têm uma relação muito forte com o dinheiro e que os cartões ainda são muito utilizados para efetuar levantamentos”.

Além disso, o responsável sublinha que a “tecnologia Contactless está a ganhar cada vez mais expressão e isso é muito importante porque é o passo intermédio natural para a adoção das novas soluções digitais de pagamento” com vista a uma “sociedade Cashless”.