Centro Cultural De Belém

Sindicato enviou pré-aviso de greve ao CCB para os dois principais Dias da Música

Os funcionários exigem aumentos salariais imediatos, reformulação do plano de carreira, a negociação do Acordo de Empresa e a contratação de mais trabalhadores. Estarão em greve dia 27 e 28 de abril.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores de Espetáculos, do Audiovisual e dos Músicos, a administração do CBB "não tem mostrado abertura necessária para negociar"

DIOGO VENTURA/OBSERVADOR

Autor
  • Agência Lusa

O Sindicato dos Trabalhadores de Espetáculos, do Audiovisual e dos Músicos (CENA/STE) enviou um pré-aviso de greve à administração do Centro Cultural de Belém (CCB), para os próximos dias 27 e 28, a exigir aumentos salariais.

O pré-aviso foi enviado à administração na passada sexta-feira, disse à agência Lusa André Albuquerque do CENA/STE, e as datas coincidem com os últimos dois dias do festival Dias da Música, a decorrer de 25 a 28 de abril, no CCB – os dois dias que reúnem o maior número de concertos (28).

A apresentação do pré-aviso de greve foi decidida em plenário, realizado na passada sexta-feira, no qual os trabalhadores do CCB reclamaram aumentos imediatos, já que a administração “não tem mostrado abertura necessária para negociar“, desde que, em março de 2018, “lhe foi apresentado o último caderno reivindicativo”, referiu.

A avaliação e reformulação da tabela salarial e do plano de carreira, a negociação do Acordo de Empresa, que permita uniformizar regras e procedimentos dentro da Fundação CCB e garantir direitos e deveres laborais e patronais, assim como a contratação de mais trabalhadores, “para fazer face às necessidades reais da Fundação e para diminuir a carga de trabalho suplementar dos atuais trabalhadores”, são outras reclamações.

Para o CENA/STE, a “complexidade” das matérias em causa desde que foi apresentado o caderno reivindicativo “seria necessário iniciar um processo de negociação sério e atempado de modo a garantir a tomada de medidas para solucionar os problemas laborais de forma progressiva e com acordo entre as partes”.

O conselho de administração “nunca demonstrou abertura para este diálogo”, referiu o sindicalista, acrescentando que os trabalhadores “mantêm a disponibilidade total para, até aos Dias da Música, encontrarem em conjunto com o Conselho de Administração um plano de resposta às suas reivindicações”.

A Lusa está a tentar contactar a administração da Fundação CCB, o que não foi possível até ao momento.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)