A comissão liquidatária do Banco Espírito Santo (BES) pretende notificar 15 ex-administradores do banco, a quem exige um valor de pelo menos 14 milhões de euros por considerar que os gestores em causa cometeram atos prejudiciais aos credores da instituição, ao mesmo tempo que já teriam conhecimento da situação de insolvência iminente do BES.

A informação é avançada pelo Jornal de Negócios, que já tinha tido acesso a esta intenção — a chamada “resolução em benefício da massa insolvente” — em outubro do ano passado. Agora, os três membros da comissão liquidatária (César Brito, Miguel Alçada e Joana Martins) avançaram mesmo com o processo de notificações a 15 dos antigos gestores, incluindo Ricardo Salgado.

O facto de o antigo presidente-executivo do BES encabeçar a lista de responsáveis pela insolvência do banco para os liquiditários— à semelhança da tese do Ministério Público — faz adivinhar que o valor exigido pode ir ainda além dos 14 milhões já conhecidos após as notificações entregues a 12 dos antigos administradores. Salgado, contudo, nega ter responsabilidades pela insolvência do banco, culpando o Banco de Portugal.

Doze dos ex-gestores (Amílcar Morais Pires, José Maria Ricciardi, Joaquim Goes, António Souto, João Freixa, Jorge Martins, José Manuel Espírito Santo, Pedro Mosqueira do Amaral, Ricardo Abecassis, Rui Silveira, João Faria Rodrigues e Stanislas Ribes) já foram notificados, tendo todos eles impugnado a decisão. Em causa, afirmam, está o facto de não terem cometido quaisquer atos lesivos dos credores, nem terem tido conhecimento prévio da insolvência. A comissão liquidatária, porém, não concorda e contesta — tendo até acusado os administradores de utilizarem argumentos “total ou parcialmente falsos, inexatos, descontextualizados, erroneamente descritos ou irrelevantes”.

A estes nomes deverão juntar-se outros três, para quem os liquidatários já avançaram com requerimentos para os notificar: Ricardo Salgado, Manuel Fernando Espírito Santo Silva e Pedro Matos Silva. O Negócios garante que essas notificações deverão acontecer nas próximas semanas.