O índice de volume de negócios na indústria diminuiu 1,0% em fevereiro, face ao mesmo mês de 2018, em termos nominais, depois do crescimento de 2,4% registado no mês anterior, divulgou hoje o INE.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), o índice de vendas relativo ao mercado nacional diminuiu 2,7%, após o aumento de 2,4% no mês anterior, enquanto o do mercado externo aumentou 1,2% (face aos 2,4% em janeiro).

O índice do agrupamento de energia influenciou significativamente os resultados do mês, tendo passado de um aumento de 2,9% em janeiro para uma redução de 10,3% em fevereiro, da qual resultou um contributo de menos 2,5 pontos percentuais para a variação do índice total.

Os agrupamentos de bens de investimento e de bens intermédios registaram crescimentos de 5,8% e 2,8% (6,3% e 2,9% em janeiro, pela mesma ordem), contribuindo conjuntamente com 1,9 pontos percentuais para a variação do índice agregado. Os bens de consumo recuaram 1,5%, face à descida de 1,0% registada em janeiro.

Os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas no setor registaram aumentos homólogos de 1,4%, 3,2% e 4,8%, respetivamente (1,5%, 3,8% e 0,8% no mês anterior, pela mesma ordem). O objetivo do índice de volume de negócios na indústria é mostrar a evolução do mercado de bens e serviços na indústria e a sua desagregação entre mercado nacional e externo.

Os índices são obtidos tendo por base o Inquérito Mensal ao Volume de Negócios e Emprego na Indústria, realizado essencialmente por via eletrónica (‘e-mail’) junto de unidades estatísticas selecionadas a partir das empresas sediadas no território nacional cuja atividade principal se enquadre na indústria, precisa o INE.