As estatísticas apontavam a favor do Manchester United: à entrada para a primeira mão dos quartos de final da Liga dos Campeões, os red devils nunca tinham perdido com o Barcelona em Old Trafford em jogos a contar para eliminatórias europeias. A equipa de Solskjaer, treinador que enquanto jogador conquistou uma Champions com o Manchester United, foi uma das sensações dos oitavos (a par do Ajax) ao eliminar o PSG e encontrava agora o Barcelona, que cai nos quartos da Champions há quatro anos consecutivos.

Com portugueses nos dois lados — Diogo Dalot nos ingleses, Nélson Semedo nos espanhóis –, os red devils alinhavam com Fred e McTominay no meio-campo e Rashford a formar a dupla habitual com Lukaku, com Martial e Lingard a começarem no banco. Já o Barcelona tinha Philippe Coutinho no onze inicial, em detrimento de Dembélé, e o brasileiro Arthur era também titular ao lado de Busquets e Rakitic no setor intermédio.

O único golo do jogo surgiu ao minuto 12, através de um entendimento entre Busquets e Messi que culminou num cruzamento do argentino para o segundo poste e para Suárez. O Barcelona bem pode agradecer ao VAR a vitória desta quarta-feira em Manchester, já que o árbitro da partida anulou o lance por fora de jogo do uruguaio numa decisão inicial e foi necessária a intervenção do vídeoárbitro para validar a jogada do golo dos catalães. Suárez cabeceou, a bola entrou e o avançado dos blaugrana já comemorava não só a vantagem no jogo e na eliminatória como o afastar de um fantasma que o acompanha há mais de três anos. Desde setembro de 2015, num empate no Stadio Olimpico com a Roma, que Suárez não marca fora de Camp Nou para a Europa. São mais de 24 horas de jogo sem marcar fora de portas para as competições europeias — e o uruguaio achou que tudo tinha terminado em Old Trafford.

Contudo, o autogolo foi atribuído a Luke Shaw e Suárez continua mesmo sem marcar para a Europa fora do estádio do Barcelona. Até ao final, Lingard e Martial ainda entraram, Dembélé permaneceu no banco e os catalães conseguiram mesmo segurar a vantagem na partida e na eliminatória e vão jogar de forma mais confortável na próxima semana em Camp Nou. O Manchester United perdeu pela primeira vez em casa com o Barcelona para as competições europeias e tem agora de ir à procura do milagre que conseguiu há mais de um mês, em Paris, quando eliminou o PSG. As estatísticas, porém, estão a favor de Messi e companhia: nas 15 vezes em que os catalães venceram a primeira mão fora, acabaram por conseguir a qualificação para a ronda seguinte.